Leia a nova edição da Revista Inteligência Competitiva, v. 7, n. 1 (2017), Janeiro – Março

Revista Inteligência Competitiva - e-ISSN:2236-210X

  1. 7, n. 1 (2017)

Sumário

Editorial

Editorial Janeiro – Março PDF
Alfredo Passos

Artigos

Comprometimento Organizacional: Estudo do Modelo Tridimensional em uma Cooperativa de Crédito na Capital Gaúcha PDF
Sheila Cristina Tavares de Oliveira Bassani, Flávia Camargo Bernardi, Mikael Dalberto, Maria Emilia Camargo, Uiliam Hahn Biegelmeyer 1-43

 

Qualidade sobre rodas: o nível de satisfação de consumidores sobre os serviços de alimentação em Food Trucks PDF
Pyetro Pergentino de Farias, Joelma Ferreira da Silva, Jammilly Mikaela Fagundes Brandão 44-71

 

Mercado de Transferências de Atletas de Futebol e o Processo de Globalização: Correlação entre os valores do Transfermarkt e do jogo eletrônico Football Manager PDF
Eric Matheus Rocha Lima, Ivan Wallan Tertuliano, André Luis Aroni, Afonso Antonio Machado, Carlos Norberto Fischer 72-90

 

Fusão entre ALL – América Latina Logística e Rumo Logística Operadora Multimodal: Uma Análise a partir da Visão Baseada em Recursos. PDF
Anderson Aquiles Viana Leite, Cristiane Teresinha Agnolin, Carlos Eduardo Carvalho 91-128

 

MAPEAMENTO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA SOBRE APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO NA BASE SPELL PDF
Mayara Pires Zanotto, Juliano Uecker de Lima, Diego Luís Bertollo, Adrieli Pereira Radaeli, Fabiano Larentis, Eric Henry Charles Dorion 129-153

 

Perspectivas Teóricas do Mainstream da Administração Estratégica: Uma Meta-Síntese PDF
Jonathan Simões Freitas, Júlia Araújo Tiso Mudrik, Paulo Vítor Guerra, Lin Chih Cheng, Carlos Alberto Gonçalves 154-182

Estudo de Caso

IN SEARCH OF INNOVATION: LOOKING OUTSIDE THE COMPANY PDF (ENGLISH)
Celso dos Santos Malachias, Luiz Carlos Di Serio 183-214

Relato Técnico-Científico

Notas críticas acerca das Estruturas Organizacionais Competitivas PDF
Luciano augusto toledo, Guilherme de Farias Shiraishi, Conceiçao Aparecida Barbosa 215-231

 

EMPREENDEDORISMO DIGITAL: UM ESTUDO SOBRE O USO DA TECNOLOGIA COMO ALAVANCAGEM DE NEGÓCIOS EM UMA STARTUP EDUCACIONAL PDF
Alexandre Albuquerque Domingues, Kathryn Floyd-Wheeler 232-261

 

Balanceamento da remuneração estratégica da força de vendas como vantagem competitiva PDF
Viviana Beatriz Huespe Aquino Vieira, Claudio Antonio Rojo 262-273

 

Revista Inteligência Competitiva: CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO

A Revista Inteligência Competitiva recebe artigos, relatos técnicos, de experiências, de pesquisas, entrevistas, resenhas e estudos de casos em regime de fluxo contínuo, ou seja, os materiais são avaliados à medida que são recebidos.

A submissão é realizada pelo link: aqui

Nós agradecemos muito a colaboração de todos e contamos com os autores que vêm contribuindo com pesquisas voltadas à Inteligência Competitiva.

Prof. Dr. Alfredo Passos
Editor Chefe

Estudo de Caso e Relato Técnico-Científico: Revista Inteligência Competitiva

Estudo de Caso

MODELO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: UMA PROPOSTA PARA MONITORAMENTO E PROSPECÇÃO DE CLIENTES NA COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS – CEMIG PDF
Frederico Giffoni de Carvalho Dutra 224-243
DIAGNÓSTICO E PROPOSTA DE ADEQUAÇÕES PARA MELHORIA NA ADMINISTRACAO DE UMA EMPRESA INDIVIDUAL DE CONFECÇÃO PDF
Leonardo de Carvalho, Claudio Antonio Rojo 244-258

Inteligência Competitiva – Artigos – Revista Inteligência Competitiva, v. 6, n. 4 (2016)

Artigos

FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O DESLIGAMENTO DOS FUNCIONÁRIOS DE UM HOSPITAL DA SERRA GAÚCHA PDF
Ariane Vanessa de Oliveira Souza, Juliana Alano, Maria Emilia Camargo, Marta Elisete Ventura da Motta 115-140
M -MARKETING Y EL MARKETING TRADICIONAL: UN ENSAYO PDF (Español)
luciano augusto toledo, adriana beatriz madeira, marcos Fernando Garber 141-160
A INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS COMO FORMA DE VANTAGEM COMPETITIVA NA ERA DA GLOBALIZAÇÃO PDF
Alexandre Pinchemel Cerqueira Costa, Luiz Carlos Gambetta 161-195
OTIMIZAÇÃO DO CONTROLE ESTATAL ATRAVÉS DAS ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA: O CASO CGA PDF
Herbert Gonçalves Espuny, Pedro Luiz de Oliveira Costa Neto 196-223

Nova edição da Revista Inteligência Competitiva, v. 6, n. 4 (2016)

A Revista Inteligência Competitiva tem como proposta ser um veículo acadêmico para a produção na área de Inteligência Competitiva, Competição e Competitividade. Está aberta a professores, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação para a divulgação de artigos científicos, ensaios e estudos de caso didáticos, cujos temas sejam de interesse à Inteligência Competitiva, Competição, Competitividade.

A Revista Inteligência Competitiva tem como proposta ser um veículo acadêmico para a produção na área de Inteligência Competitiva, Competição e Competitividade. Está aberta a professores, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação para a divulgação de artigos científicos, ensaios e estudos de caso didáticos, cujos temas sejam de interesse à Inteligência Competitiva, Competição, Competitividade.

Classificação no CAPES/QUALIS: B3 

Sumário

Editorial

outubro a dezembro PDF
Alfredo Passos

Artigos

ORGANIZAÇÕES VISTAS COMO PRISÕES PSÍQUICAS: REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA PDF
Fernanda Rocha Bortoluzzi, Greice Daniela Back, Janine Cardoso Rocha, Éric Dorion 1-19

 

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UMA ANÁLISE EMPÍRICA SOB O MODELO DE WALTON PDF
Tayne Gonçalves Silva, Claudia Lehnemann Tannhauser, Uiliam Hahn Biegelmeyer, Danielle Nunes Pozzo, Rosecler Maschio Gilioli, Maria Emilia Camargo, Gabriela Zanandrea 20-54

 

A PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA SOBRE APLICAÇÃO DE MINERAÇÃO DE DADOS PARA O AGRONEGÓCIO PDF
José Vinícius Santos Barboza, Sandra Mara Stocker Lago, Jerry Adriani Johann 55-80

 

TALENTOS GLOBAIS E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS: UMA ANÁLISE SOBRE AS EXPECTATIVAS DO INTERCÂMBIO SOCIAL DA AIESEC PDF
João Pedro Luz e Barros, Claudia Lehnemann Tannhauser, Uiliam Hahn Biegelmeyer, Danielle Nunes Pozzo, Alice Munz Fernandes, Tânia Craco, Rejne Remussi 81-114

 

FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O DESLIGAMENTO DOS FUNCIONÁRIOS DE UM HOSPITAL DA SERRA GAÚCHA PDF
Ariane Vanessa de Oliveira Souza, Juliana Alano, Maria Emilia Camargo, Marta Elisete Ventura da Motta 115-140

 

M -MARKETING Y EL MARKETING TRADICIONAL: UN ENSAYO PDF (ESPAÑOL)
luciano augusto toledo, adriana beatriz madeira, marcos Fernando Garber 141-160

 

A INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS COMO FORMA DE VANTAGEM COMPETITIVA NA ERA DA GLOBALIZAÇÃO PDF
Alexandre Pinchemel Cerqueira Costa, Luiz Carlos Gambetta 161-195

 

OTIMIZAÇÃO DO CONTROLE ESTATAL ATRAVÉS DAS ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA: O CASO CGA PDF
Herbert Gonçalves Espuny, Pedro Luiz de Oliveira Costa Neto 196-223

Estudo de Caso

MODELO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: UMA PROPOSTA PARA MONITORAMENTO E PROSPECÇÃO DE CLIENTES NA COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS – CEMIG PDF
Frederico Giffoni de Carvalho Dutra 224-243

Relato Técnico-Científico

DIAGNÓSTICO E PROPOSTA DE ADEQUAÇÕES PARA MELHORIA NA ADMINISTRACAO DE UMA EMPRESA INDIVIDUAL DE CONFECÇÃO PDF
Leonardo de Carvalho, Claudio Antonio Rojo 244-258

Dicas

Livros PDF

Revista Inteligência Competitiva 

Publicada nova edição da Revista Inteligência Competitiva, v. 6, n. 4 (2016)

A Revista Inteligência Competitiva tem como proposta ser um veículo acadêmico para a produção na área de Inteligência Competitiva, Competição e Competitividade. Está aberta a professores, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação para a divulgação de artigos científicos, ensaios e estudos de caso didáticos, cujos temas sejam de interesse à Inteligência Competitiva, Competição, Competitividade.

Classificação no CAPES/QUALIS: B3 

Sumário

Editorial

outubro a dezembro PDF
Alfredo Passos

Artigos

ORGANIZAÇÕES VISTAS COMO PRISÕES PSÍQUICAS: REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA PDF
Fernanda Rocha Bortoluzzi, Greice Daniela Back, Janine Cardoso Rocha, Éric Dorion 1-19

 

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UMA ANÁLISE EMPÍRICA SOB O MODELO DE WALTON PDF
Tayne Gonçalves Silva, Claudia Lehnemann Tannhauser, Uiliam Hahn Biegelmeyer, Danielle Nunes Pozzo, Rosecler Maschio Gilioli, Maria Emilia Camargo, Gabriela Zanandrea 20-54

 

A PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA SOBRE APLICAÇÃO DE MINERAÇÃO DE DADOS PARA O AGRONEGÓCIO PDF
José Vinícius Santos Barboza, Sandra Mara Stocker Lago, Jerry Adriani Johann 55-80

 

TALENTOS GLOBAIS E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS: UMA ANÁLISE SOBRE AS EXPECTATIVAS DO INTERCÂMBIO SOCIAL DA AIESEC PDF
João Pedro Luz e Barros, Claudia Lehnemann Tannhauser, Uiliam Hahn Biegelmeyer, Danielle Nunes Pozzo, Alice Munz Fernandes, Tânia Craco, Rejne Remussi 81-114

 

FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O DESLIGAMENTO DOS FUNCIONÁRIOS DE UM HOSPITAL DA SERRA GAÚCHA PDF
Ariane Vanessa de Oliveira Souza, Juliana Alano, Maria Emilia Camargo, Marta Elisete Ventura da Motta 115-140

 

M -MARKETING Y EL MARKETING TRADICIONAL: UN ENSAYO PDF (ESPAÑOL)
luciano augusto toledo, adriana beatriz madeira, marcos Fernando Garber 141-160

 

A INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS COMO FORMA DE VANTAGEM COMPETITIVA NA ERA DA GLOBALIZAÇÃO PDF
Alexandre Pinchemel Cerqueira Costa, Luiz Carlos Gambetta 161-195

 

OTIMIZAÇÃO DO CONTROLE ESTATAL ATRAVÉS DAS ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA: O CASO CGA PDF
Herbert Gonçalves Espuny, Pedro Luiz de Oliveira Costa Neto 196-223

Estudo de Caso

MODELO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: UMA PROPOSTA PARA MONITORAMENTO E PROSPECÇÃO DE CLIENTES NA COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS – CEMIG PDF
Frederico Giffoni de Carvalho Dutra 224-243

Relato Técnico-Científico

DIAGNÓSTICO E PROPOSTA DE ADEQUAÇÕES PARA MELHORIA NA ADMINISTRACAO DE UMA EMPRESA INDIVIDUAL DE CONFECÇÃO PDF
Leonardo de Carvalho, Claudio Antonio Rojo 244-258

Dicas

Livros PDF

Revista Inteligência Competitiva

Inteligência Competitiva – Indústria 4.0: Modelo pode reverter desindustrialização

José Borges Frias, diretor de estratégia da Siemens: a indústria 4.0 é uma boa forma de dar salto de produtividade

A indústria 4.0 pode funcionar como instrumento para reverter o processo de desindustrialização e recuperar a participação do setor industrial no PIB brasileiro. Criado na Alemanha, com o objetivo de utilizar a tecnologia digital para aumentar a produtividade industrial e fortalecer a economia do país face ao abalo da crise financeira global de 2008-­2009, o modelo pode ajudar a indústria brasileira a dar um salto de competitividade, acredita José Borges Frias Jr., diretor de estratégia, inteligência de mercado e business excellence para as divisões digital factory e process industries and drives da Siemens Brasil.

“A indústria brasileira, se quiser participar das cadeias globais de valor, precisa ter melhor produtividade e a indústria 4.0 é uma boa forma de dar esse salto”, diz o executivo. Grandes empresas globais de setores como o automotivo, químico, de papel e celulose, bens de capital e bens de consumo são as que se destacam hoje no país na adoção desse conjunto integrado e conectado de tecnologias, que permite o uso mais racional de materiais e energia, menor custo e maior eficiência na fabricação, logística e distribuição dos produtos.

Utilizando tecnologias como internet das coisas (IoT) e computação em nuvem, o novo modelo também permite a customização em massa, eliminando a necessidade da produção de grandes lotes de um único modelo para obter­se economia de escala. Uma mesma linha pode comportar vários modelos, sem encarecer o produto, como ocorre hoje com a Volkswagen, cliente da Siemens, na fábrica de São José dos Pinhais (PR), onde são produzidos os modelos Golf, Audi e Fox em uma mesma linha de montagem.

No setor de papel e celulose, a Fibria investiu em um sistema de análise preditiva da SAP aplicado a projetos como o desenvolvimento de novos clones de eucalipto e melhores práticas de manejo florestal. No agronegócio, a Stara, fabricante de máquinas agrícolas, desenvolveu em conjunto com a SAP um protótipo de trator com a tecnologia IoT que permite ao agricultor monitorar on­line e em tempo real os processos de plantio, preparo, adubação e correção do solo, pulverização e colheita.

Os dados podem ser integrados ao sistema de gestão da fazenda, possibilitando análise em tempo real. A SAP, que nos últimos cinco anos investiu € 10 bilhões em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias, vai destinar € 2 bilhões, até 2020, apenas à IoT. Mário Rachid, diretor executivo de soluções digitais da Embratel destaca a solução de internet das coisas aplicada a automóveis, que permite acionar autofalantes e microfones do sistema hands­free, travar portas a distância, conectar aplicativos e solicitar à central de uma montadora o acompanhamento em rotas perigosas. A tecnologia já é usada pela GM no Brasil nos modelos Médio Cruze 2016 e no novo Cobalt da Chevrolet.

A Volvo aplicou a solução no modelo XC60. Entre os serviços oferecidos pela Embratel para a indústria 4.0 estão a transmissão de dados, cloud computing, M2M/internet das coisas e datacenter. Para Rachid, a facilidade de acesso e a flexibilidade da nuvem contribuem para melhorar a produção e o gerenciamento de fábricas e escritórios. “Por meio de aplicações em nuvem, as indústrias podem aumentar sua capacidade em momentos de pico e reduzir quando for necessário, otimizando gastos e investimentos”, afirma. A indústria 4.0 baseia­se em padrões abertos e pressupõe colaboração e parcerias entre fabricantes, integradores, companhias de telecomunicações e usuários.

“Colaboração é a palavra chave do sucesso nesse novo mundo digital”, diz Orlando Cintra, vice-­presidente sênior da área de digital enterprise platform da SAP. Em setembro, SAP e Bosch firmaram parceria para interligar suas plataformas de internet das coisas e indústria 4.0. “Foi uma parceria para facilitar a inteligência de nossos projetos de indústria 4.0 com o sistema SAP de produção e informação que já utilizamos”, diz Júlio Monteiro, diretor industrial da Bosch.

Segundo ele, as parcerias nascem sempre de uma necessidade. “Mesmo neste período de crise estamos conseguindo implementar atividades da indústria 4.0, porque elas trazem um ganho”, afirma Monteiro. Um torno equipado com um sistema de manutenção on­line introduzido na fábrica da Bosch de Campinas (SP) em novembro de 2015 já propiciou redução de 35% em manutenção corretiva e de 12% em manutenção preventiva entre janeiro e julho deste ano, em comparação com igual período de 2015.

Como integradora e consultora para o novo cenário da indústria digital, a HP Enterprise Services (HPE) trabalha com uma gama grande de parceiros globais em áreas nas quais não atua, como empresas de automação, sensorização, telecomunicações e outras de soluções específicas para alguns nichos.

“Nós não temos todas as peças, mas sim as de Tecnologia da Informação e precisamos capacitá-­las a trabalhar melhor as informações, que são a matéria-­prima desse conceito”, diz Reinaldo Lorenzato, diretor de soluções da HPE para as áreas de manufatura e agronegócio.

Fonte: Gleise de Castro, Valor Econômico, 29/11/2016,­ 05:00