Marketing 2 – Por que Administração de Marketing 14a. edição?

administracao-de-marketing-com-mymarketinglab_9788581430003

KOTLER, P. KELLER, K. L. Administração de Marketing. 14 ed. São Paulo: Pearson- Prentice-Hall, 2012.

A Pearson tem o prazer de apresentar ao mercado nacional a 14a edição de um de seus maiores sucessos editoriais.

Indispensável para a formação de profissionais de marketing e gestores em geral, Administração de marketing não é apenas uma grande obra que se destaca das demais nesse tema – para todos aqueles que a conhecem, ela é a verdadeira “bíblia do marketing”.

Esta edição consagra a presença de Kevin Keller como coautor. Além disso, ela traz a mesma estrutura didática – celebrada mundialmente por sua abordagem abrangente e, ao mesmo tempo, minuciosa – que transformou Philip Kotler no mais renomado autor do mercado.

Paralelamente, continua se destacando por sua inigualável dinâmica para acompanhar um assunto em constante evolução e, assim, unir os fundamentos aos aspectos mais atuais do marketing.

Além das revisões e atualizações, Administração de marketing incorporou um refinado projeto gráfico colorido, tornando sua leitura mais agradável.

Outra novidade marcante para o público brasileiro é a inclusão de 22 casos nacionais ao lado de casos globais que aproxima os conceitos teóricos apresentados à realidade prática do leitor.

Por fim, vale destacar que este título ainda conta com uma sala virtual exclusiva que, além de promover uma interação maior entre o leitor e o conteúdo, oferece acesso a diversos recursos que fortalecem o processo de ensino e aprendizagem.

Tudo isso e muito mais fazem de Administração de marketing um dos instrumentos mais completos para professores e alunos de cursos relacionados à gestão, marketing e afins.

Sumário

Parte I: O que é administração de marketing; Capítulos: 1. Marketing para o século XXI; 2. Desenvolvimento de estratégias e planos de marketing;

Parte II: Captura de oportunidades de marketing; Capítulos: 3. Coleta de informações e previsão de demanda; 4. Condução de pesquisa de marketing;

Parte III: Conexão com os clientes; Capítulos: 5. Criação de relações de longo prazo baseadas em fidelidade; 6. Análise de mercados consumidores; 7. Análise de mercados business; 8. Identificação de segmentos de mercado e seleção de mercados-alvo;

Parte IV: Criação de marcas fortes; Capítulos: 9. Criação de Brand equity; 10. Criação de posicionamento da marca; 11. Dinâmica competitiva;

Parte V: Desenvolvimento das ofertas ao mercado; Capítulos: 12. Definição da estratégia de produto; 13. Desenvolvimento e gerenciamento de serviços; 14. Desenvolvimento de estratégias e programas de determinação de preços;

Parte VI: Entrega de valor; Capítulos: 15. Projeto e gerenciamento de canais integrados de marketing; 16. Gerenciamento de varejo, atacado e logística;

Parte VII: Comunicação do valor; Capítulos: 17. Gerenciamento da comunicação integrada de marketing; 18. Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e experiências e relações públicas;19. Gerenciamento das comunicações pessoais: marketing direto e interativo, boca a boca e vendas pessoais;

Parte VIII: Sucesso de longo prazo; Capítulos: 20. Introdução de novas ofertas no mercado; 21. Exploração do mercado global; 22. Gerenciamento de uma organização de marketing holístico no longo prazo. Índices.

O livro de marketing do ano

Uma das revistas mais importantes do mundo dos negócios, “strategy+business”, elegeu o livro do Professor Niraj Dawar “Empresa Focada No Cliente: Mude a estratégia do produto para o cliente” (publicado no Brasil pela Elsevier/Campus), da Ivey Business School no Canadá e em Hong Kong, o livro do ano de 2014 na categoria “Marketing”.

O que faz a diferença neste livro de Niraj Dawar para os outros de marketing? Dois
depoimentos respondem a profissionais e interessados.

“Neste livro importante e de fácil leitura, Niraj Dawar oferece aos gestores de marketing um roteiro para a obtenção de uma vantagem competitiva sustentável. Ao “inclinar” o foco para os clientes e as interações da empresa com eles, os profissionais de marketing mudam sua estratégia, antes centrada no produto, para uma mentalidade focada no cliente e aumentam o sucesso no altamente competitivo mercado da atualidade”, disse Russel S. Winer, professor de Marketing da NYU Stern School of Business.

Para ler mais, clique aqui. 

OS 30 MAIORES ANUNCIANTES DO BRASIL EM 2012

Ranking do Ibope Monitor dos maiores investimentos em publicidade no Brasil no ano passado

Anunciante Janeiro a Dezembro 2012 Janeiro a Dezembro 2011
Valor do investimento (R$)
Posição
Valor do investimento (R$)
Posição
Casas Bahia
1.324.246
1
1.266.465
1
Unilever Brasil
1.146.114
2
995.082
2
Caixa Econômica Federal
676.534
3
428.499
6
Ambev
643.392
4
516.310
3
Sky Brasil
423.706
5
256.516
15
VIVO
418.895
6
262.859
13
Procter & Gamble
395.072
7
372.181
7
Petrobras
383.563
8
309.315
10
Cervejaria Petrópolis
374.838
9
447.570
4
Hypermarcas
364.371
10
209.272
23
Volkswagen
319.616
11
336.157
8
Oi
316.220
12
193.192
29
General Motors
307.029
13
244.867
17
Grupo Pão de Açúcar
301.658
14
243.126
18
Reckitt Benckiser
298.688
15
415.021
6
Banco do Brasil (GFC)
292.077
16
211.215
22
Bradesco
290.799
17
305.495
11
Hyundai CAOA
290.599
18
321.334
9
Fiat
284.162
19
301.870
12
TIM Brasil
270.108
20
261.041
14
Nestlé
269.935
21
193.717
28
Coca-Cola
268.856
22
252.877
16
Claro
261.243
23
182.014
31
Genomma
260.986
24
202.703
25
L’Oréal
234.408
25
200.004
27
Colgate Palmolive
234.008
26
218.322
21
Renault do Brasil
233.808
27
182.540
30
Itaú
222.693
28
201.277
26
Supermercado Guanabara
204.442
29
171.155
33
Brasil Kirin
200.590
30
92.145
53

* Não classificado entre os 30 maiores de 2012.

Fonte: Exame, Marketing / Os 30 maiores anunciantes do Brasil em 2012

Cinco resoluções que todo CMO deve adotar para 2016, por Ankur Prakash

Mais do que nunca, os CMOs devem agir como o cérebro humano, dirigindo colaboradores, coordenando estratégias omnichannel, adaptando-se às tecnologias e gerenciando todos os aspectos da experiência do cliente. E, obviamente, esses profissionais vão precisar de mais do que apenas conhecimentos em marketing. Segundo artigo de Michael Brenner para o The Guardian, em 2020, as empresas terão habilidades de engenharia e crescimento para executar seus serviços de maneira eficaz.

E, com tantas novas demandas, vamos considerar 2016 como ‘O Ano do CMO’. Pensando nisso, elencamos cinco resoluções que cada profissional deve ter em mente este ano para alavancar a experiência do consumidor.

Construa uma agenda orientada a dados

O analytics é fundamental para conhecer a experiência da marca com os clientes. Um relatório da McKinsey & Company aponta que companhias experientes no uso de analytics superam seus concorrentes – tais empresas alcançam 126% mais lucro e 132% maior retorno sobre o investimento – mas, somente se os altos executivos estão envolvidos no processo.
Posições como Chief Customer Officer, Chief Digital Officer e Chief Customer Officer surgiram recentemente. Justamente porque agora temos o poder de usufruir dos dados dos consumidores para otimizar suas interações com as marcas. E o CMO deve ser visto como uma configuração de rede hub-and-spoke¬, gerenciando outros importantes parceiros de marketing em um processo interligado, e não em silos.

Digitalize e automatize

O futuro do marketing está no digital e nos sistemas automatizados, vitais para o conteúdo e o gerenciamento de dados. As percepções dos clientes têm direcionado todos os dias cada vez mais campanhas; e a enorme quantidade de informações disponíveis requer uma abordagem altamente sofisticada para a sua triagem e análise. Mas, 80% dos profissionais afirmam estar sobrecarregados pelas demandas digitais. Por isso, os CMOs devem investir em recursos e treinamentos que ajudem a compreender a crescente chamada pelas experiências mobile e online.

Reposicione a sua marca com o marketing

Este é o ano do rebranding¸ considerando que todas as empresas são, até certo ponto, empresas de tecnologia. A digitalização forçou mudanças globais na maneira de comprar e criou um ambiente em que o vencedor é a empresa que se adapta mais rápido. Os CMOs, claro, desempenham um papel crucial nesse trabalho de alavancar as novas tecnologias para manter a inovação. As cabeças do marketing devem não só recolher os dados do cliente, mas também colaborar para que todos os departamentos projetem uma visão integrada de futuro em suas campanhas.

E, para os próximos anos, realizar o marketing sem ferramentas será praticamente impossível, especialmente porque a demanda de serviços direcionados a dados vai aumentar. E nós estamos testemunhando essa mudança agora, como os principais consumidores que precisam de estratégias digitais. Um exemplo: Tata Sons e Coca-Cola contrataram novas agências para levar o seu marketing internacional à uma nova era. Isso aconteceu em julho de 2015, época em que 72% dos profissionais de marketing buscavam novos parceiros que os ajudassem a melhorar o uso dos dados e do marketing digital.

Crowdsource as novas ideias

Convidar os consumidores a partilhar suas ideias não apenas desenvolve uma associação positiva com a marca, mas também apresenta uma nova perspectiva da organização. Os executivos de marketing podem organizar competições ao estilo XPRIZE, campeonatos que fomentem a inovação para dar o start de criatividade. Algumas empresas têm utilizado o crowdsourcing para a fotografia, o conteúdo, desenvolvimento e o financiamento de um produto no início.

Crie conteúdo que acelere o status de liderança do pensamento

O conteúdo é a forma mais efetiva de se conectar aos consumidores, motivo pelo qual profissionais de marketing citaram a ferramenta como a mais importante em 2015. As marcas não podem atingir seus clientes com o uso da autoridade sobre o conhecimento. Por conta disso, os CMOs devem criar poderosas, mas sutis, campanhas que apresentem os valores da companhia.

Se alguns especialistas estiverem certos, em breve os CMOs irão recorrer a departamentos além do marketing. O papel desse executivo está crescendo e o digital pede evoluções rápidas. O novo ano vai trazer mudanças sem precedentes. Por isso, é importante fazer resoluções agora para aproveitar as oportunidades que possam surgir no futuro.

(*) Ankur Prakash é vice-presidente de new growth e emerging markets na Wipro

Fonte: PROXXIMA, 08/03/2016, 14:55

 

7 opções de intercâmbio que unem estudo e trabalho no Canadá: negócios, administração, tecnologia da informação, marketing, engenharia, design e saúde

Cursos no Canadá para quem quer estudar e trabalhar

São Paulo – A procura por modalidades de intercâmbio que combinam estudo e trabalho no Canadá tem aumentado bastante. A afirmação é da presidente da Canadá Intercâmbio, Rosa Maria Troes. Cursos que oferecem estágios remunerados nas áreas de negócios e tecnologia da informação são os mais buscados, segundo ela. Mas há cursos também na área de engenharia, marketing, design e saúde.

O valor do dólar canadense, mais barato do que o americano, tem sido um grande atrativo, de acordo com ela. “O custo-benefício é um dos melhores se comparado a outros diversos países”, diz.

Mas não é só o câmbio que influencia a escolha. “Uma grande parte dos programas permite que os estudantes trabalhem por algumas horas semanais de forma remunerada, o que complementa o orçamento no final do mês”, diz a presidente da Canadá Intercâmbio.

Para este tipo de intercâmbio, a crise pode significar oportunidade. “Muitos estudantes são demitidos de suas empresas e resolvem então aproveitar o momento para fazer um curso fora, mesmo que não seja de muito tempo”, diz Rosa.

O objetivo é garantir no currículo, não só o domínio do idioma e a qualificação oferecida pelo curso, mas também uma experiência profissional internacional, tem crescido. “Investir em educação sempre está em alta”, diz Rosa.

Segundo Rosa, a faixa etária dos interessados neste tipo de intercâmbio é, geralmente, entre 19 anos e 30 anos. “São recém-formados tanto no ensino médio como na universidade, em busca de novos desafios na área profissional e pessoal. Surgiu também um público novo, atualmente são empresários, casais com e sem filhos, que já estabelecidos no mercado de trabalho no Brasil”, diz. Interessados em emigrar para o Canadá também têm aproveitado o intercâmbio como forma de experimentar como seria a vida no país.

Confira, nas fotos, alguns dos cursos mais procurados em 7 áreas: negócios, administração, tecnologia da informação, marketing, engenharia, design e saúde.

Niagara College

Negócios internacionais

Nome do curso: International Business Management
Escola: Niagara College
Cidade: Ontário
Preço: aproximadamente 11.400 dólares canadenses por ano
Tempo de estudo: 1 ano
Tempo de trabalho: estágio de pelo menos 150 horas
Mais informações: no site da Niagara College

Langara College

Administração (pós-graduação)

Nome do curso: Business Administration
Escola: Langara College
Cidade: Vancouver
Preço: 23.730 dólares canadenses
Tempo de estudo: 2 anos
Tempo de trabalho: Estágio no 4º semestre
Mais informações: no site da Langara College

ITD Canadá

Tecnologia da informação

Nome do curso: Network administration (administração de redes)
Escola: Institute of Technology Development and Management (ITD)
Cidade: Vancouver
Preço: 15.950 dólares canadenses
Tempo de estudo: 52 semanas
Tempo de trabalho: 52 semanas
Mais informações: no site do ITD.

Seneca College

Engenharia civil

Nome do curso: Civil Engineering Technician
Escola: Seneca College
Cidade: Toronto
Preço: 13.199 dólares canadenses para dois semestres.
Tempo de estudo: 2 anos
Tempo de trabalho: Estágio no segundo e terceiro semestres
Mais informações: no site da Seneca College

Langara College

Marketing (pós-graduação)

Nome do curso: Marketing Management
Escola: Langara College
Cidade: Vancouver
Preço: 23.730 dólares canadenses
Tempo de estudo: 2 anos
Tempo de trabalho: estágio no 4 semestre
Mais informações: no site da Langara College

ITD Canadá

Design gráfico

Nome do curso: Graphic Design
Escola: Institute of Technology Development and Management (ITD)
Cidade: Vancouver
Preço: 16.450 dólares canadenses
Tempo de estudo: 52 semanas
Tempo de trabalho: 26 semanas
Mais informações: no site do ITD

Pacific Coast Community College

Saúde (cuidados intensivos)

Nome do curso: Acute Care Aide (cuidados intensivos)
Escola: Pacific Coast Community College
Cidade: Vancouver
Preço: 16.800 dólares canadenses
Tempo de estudo: 64 semanas
Tempo de trabalho: 600 horas
Mais informações: no site da Pacific Coast Community College

Fonte: Camila Pati é a jornalista responsável pelo canal Carreira de EXAME.com. 17/11/2015, 06:00. Seu e-mail é camila.pati@abril.com.br