Workshops discutem benefícios da exploração de petróleo e gás em SP

A Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, por intermédio da Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural (Cespeg), promove entre os dias 24 de novembro e 12 de dezembro uma série de sete workshops para debater as ações para ampliação dos benefícios econômicos e sociais das atividades ligadas à exploração de petróleo e gás natural no Estado de São Paulo.

O objetivo dos workshops é colocar em discussão frente à sociedade civil as questões levantadas pelos grupos de trabalho da Cespeg, com foco na troca de experiências entre os setores diretamente envolvidos no tema, permitindo a participação de um número maior de agentes nos trabalhos da comissão. Durante os encontros também serão divulgadas as ações que estão sendo desenvolvidas pelo Governo do Estado.

Os workshops contarão com a presença do vice-governador e secretário de Desenvolvimento, Alberto Goldman, além de outros secretários de Estado que fazem parte da comissão, empresários, pesquisadores e especialistas sobre o tema.

Ficha técnica

Workshops da Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural (Cespeg)
Data: 24/11 a 12/12
Horário: 8h30 às 12h30
Informações e inscrições, clique aqui.

Fonte: Grupo de Comunicação, Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo.

Advertisements

EXAME premiou as 20 empresas-modelo em ações sustentáveis neste ano

Na nona edição do Guia de Sustentabilidade, EXAME premiou 20 empresas consideradas modelo em ações socioambientais, mas pela primeira vez uma companhia foi destacada como a mais persistente e comprometida com a busca da sustentabilidade. 

 

Conheça as 20 empresas-modelo escolhidas pelo Guia EXAME de Sustentabilidade 2008
Empresa Setor Por que foi escolhida
Natura  Cosméticos Considerada a Empresa do Ano, a Natura tem o gene da sustentabilidade em seu negócio 
AES Tietê Energia A geradora criou um método inovador para obter créditos de carbono
Amanco Materiais de construção Os funcionários se tornam disseminadores da agenda verde
Anglo American Mineração A mineradora toma todos os cuidados antes de abrir uma nova mina
Basf Química A empresa abriu uma linha direta para colher a opinião dos acionistas
Bradesco Banco Direcionou mais recursos para os financiamentos responsáveis
Coelba Energia A distribuidora incentiva o consumo consciente de energia
CPFL Energia Fez investimentos em produção de energia a partir de bagaço de cana
Elektro Energia As ações sustentáveis dependem da participação de todos
Energias do Brasil Energia Apostou em fontes limpas de energia
Itaú Banco Fechou parcerias para impulsionar as operações de microcrédito
Masisa Materiais de construção Produz painéis de madeira com baixo impacto ambiental
Perdigão Alimentos Conciliou a expansão das atividades com a conduta responsável
Phlips Eletrônicos Esforçou-se para engajar os fornecedores nas boas práticas
Promon Engenharia A sustentabilidade está presente nos detalhes
Real Banco Condicionou empréstimos às práticas socioambientais dos clientes
Serasa Finanças Trabalhou para incluir portadores de deficiência no quadro de funcionários
Suzano Papel e celulose A competição global exigiu padrões sustentáveis mais rígidos
Usiminas Siderurgia Empresa cresce sem perder de vista o impacto ambiental
Wal-Mart Varejo Mudou para apagar fama de pouco preocupado com questões socioambientais

Para maiores informações bem como para ler a matéria completa, acesse o Portal Exame, ao clicar aqui.

Bom dia e bom trabalho.

 

 

Wal-Mart anuncia meta global de reduzir uso de sacolas plásticas

O presidente do Wal-Mart Brasil, Héctor Núñez, ratifica a estratégia global da companhia e informa que a filial brasileira vai reduzir o uso de sacolas plásticas em suas lojas em 50% em 5 anos.

A iniciativa vai envolver ações em todo o mundo e os países da operação internacional terão estratégias adequadas a cada realidade e cultura.

“No Brasil, temos um programa de sustentabilidade bastante estruturado, com resultados concretos em diversas iniciativas, como construções, produtos e embalagens, eficiência energética e redução de resíduos, por exemplo. A redução das sacolas faz parte do nosso desafio e estamos muito otimistas quanto a atingir essa meta no menor tempo possível”, diz Héctor Núñez, presidente do Wal-Mart Brasil.

Os esforços do Wal-Mart poderão reduzir o consumo de energia ao equivalente a aproximadamente 678.000 barris de petróleo por ano e reduzir as emissões de CO2 em 290.000 toneladas por ano – o que representa a retirada de 53.000 carros das ruas.

No Brasil, algumas ações estão em andamento e já colaboram para a redução no uso das sacolas. Uma delas é o chamado “puxa-saco”, já implantado no Sudeste e Sul e que chegará ao Nordeste até o final deste ano.

Trata-se de uma idéia simples, de fácil aplicação, que inibe o uso indiscriminado de sacolas plásticas. Uma caixa que funciona como as de lenço de papel permite que o cliente pegue apenas uma sacola de cada vez ao empacotar suas compras.

Com este dispositivo, em uso desde o início deste ano, em uma única loja, por exemplo, já observou-se redução de cerca de 15% no volume das sacolas. Para mostrar ao cliente o impacto do uso indiscriminado de sacolas plásticas, as lojas do Wal-Mart no Brasil em três estados (SP, PR e RS) colocaram um carrinho de compras com 880 sacolas plásticas dentro em exposição na entrada das lojas.

Este é o número de sacolas que cada pessoa gasta em um ano, segundo o Instituto Akatu. “A conscientização é uma das plataformas de sustentabilidade do Wal-Mart Brasil. Sabemos que como uma rede varejista, temos acesso a todos os públicos, tanto fornecedores, como consumidores e funcionários, que, no nosso caso, são mais de 70.000 pessoas. Queremos mostrar que, se cada um fizer a sua parte, fica mais fácil mudarmos hábitos”, diz Núñez.

Outra iniciativa que já mostra resultados, é o programa de produtividade implementado em todo o País chamado “um item a mais por sacola”, por meio do qual os funcionários foram orientados a colocar apenas uma mercadoria a mais em cada sacola de compra do cliente. Apenas com essa medida, na região Sudeste o número de sacolas utilizadas em cada loja foi reduzido em 20%.

O Wal-Mart Brasil também oferece sacolas retornáveis feitas em algodão cru desde maio de 2008 em São Paulo e Curitiba. Em 4 meses, mais de 150 mil sacolas foram vendidas.

Na última semana a novidade chegou na região metropolitana de Porto Alegre e, em três dias mais de 35 mil sacolas foram vendidas. Até novembro, a sacola retornável estará disponível em todas as lojas do Wal-Mart Brasil. O grande volume e a procura pelas sacolas mostra que o consumidor também está cada vez mais consciente do papel de cada um na preservação do meio ambiente.

‘Reciclagem e redução de resíduos’ é uma das três grandes áreas de atuação do programa de sustentabilidade do Wal-Mart Brasil – que inclui ainda ‘clima e energia’ e ‘produtos sustentáveis – onde a redução de sacolas está inserida.

As áreas foram divididas em 10 plataformas que detalham cada um dos temas, são capitaneadas por um executivo sênior da companhia (vice-presidentes) e propõem ações efetivas. Entre as metas globais do Wal-Mart estão reduzir os resíduos sólidos em 25% em três anos, ser abastecido 100% por energia renovável em ter lojas novas 30% mais eficientes.

Em 2005 o Wal-Mart assumiu o compromisso de adotar a sustentabilidade como um dos pilares do seu negócio, seguindo conceitos econômicos, sociais e ambientais.

Para atingir seus objetivos e metas, a empresa está investindo, entre 2005 e 2010, US$ 500 milhões em infra-estrutura e aprimoramento de sistemas de gestão em busca de resultados.

Fonte: Wal-Mart Brasil

Bom dia e bom trabalho.

Michael Porter mostra como resolver o desafio de incorporar a responsabilidade social na estratégia da empresa

Muitas organizações monitoram seus investimentos sociais e publicam relatórios de sustentabilidade.

Poucas empresas, entretanto, integram as questões sociais e ambientais em sua estratégia, de maneira a reforçar a vantagem competitiva para o negócio.

Essa foi a avaliação de Michael Porter, um dos mais conceituados especialistas em estratégia do mundo, ao falar para uma platéia brasileira durante o Fórum Mundial de Estratégia, realizado em São Paulo pela HSM.

Leia matéria completa no “Notícias da Semana” no website do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, ao clicar aqui.

Petrobras é eleita uma das marcas de confiança do consumidor

A Petrobras é uma das empresas de destaque na 7ª edição da pesquisa Marcas de Confiança, realizada pela revista Seleções do Reader’s Digest em parceria com o Ibope Solution.

A pesquisa é realizada para mensurar, por meio da opinião de seus leitores, quais são as marcas, produtos, serviços e profissionais que mais agradam os consumidores.

 Na categoria Responsabilidade Social, a Petrobras foi eleita com 14% dos votos, ao lado da Natura, com 13%. Os assinantes votaram espontaneamente na marca preferida para este quesito e o resultado aponta as instituições de maior confiança dos leitores.

A pesquisa Marcas de Confiança enfocou 45 categorias de produtos e serviços, além das categorias especiais. Realizada pela primeira vez através da Internet, com total monitoramento do Ibope, a análise levou em consideração uma amostra de 1.500 questionários de um universo de mais de 1,5 milhão de leitores.

A pesquisa Marcas de Confiança 2008 levou em consideração uma amostra de 1,5 mil questionários de um universo de mais de 1,5 milhões de leitores. Foram escolhidas pelos assinantes as marcas que mais inspiram confiança em 45 categorias, além das categorias especiais, que envolvem instituições, profissões e personalidades.

A entrega do prêmio Marcas de Confiança 2008 acontece em 2 de setembro, na Casa Petra, em São Paulo, às 20h. O evento será conduzido pela atriz Fernanda Vasconcelos e por Sérgio Charlab, editor da revista Seleções, contando com a presença dos vencedores, presidentes das empresas, publicitários, colunistas da revista, imprensa e outros convidados. A festa será embalada por um show dos Meninos do Morumbi e terá transmissão on-line, pelo www.selecoes.com.br.

Fonte – Petrobras

Bom dia e bom trabalho.

 

Educação é fundamental…

A qualidade da educação pública é vital para a sustentabilidade dos negócios e para o crescimento econômico na América Latina, de acordo com um estudo encomendado pela FedEx Express Divisão da América Latina & do Caribe (FedEx Express LAC) à Unidade de Pesquisa da revista The Economist (EIU).

O estudo, intitulado “Pesquisa sobre a Sustentabilidade dos Negócios: a Educação na América Latina e o Papel do Setor Privado”, demonstra o vínculo crucial entre as contribuições do setor privado para a construção de capital humano e o estímulo ao crescimento da economia.

“A FedEx encomendou essa pesquisa para fomentar o diálogo sobre o impacto do setor privado na educação e estimular o intercâmbio de melhores práticas”, disse Carlos Ienne, diretor-geral executivo da FedEx Express para a região do Mercosul. “Cada vez mais, os homens de negócios reconhecem que uma força de trabalho sem capacitação impacta sua base de atuação e a habilidade para competir, fazendo dela uma prioridade crítica para o setor privado”.

O estudo aponta outros pontos importantes:

  • O investimento na construção do capital humano leva a um crescimento econômico de impacto, como ficou demonstrado no rápido progresso de Cingapura e da Coréia do Sul.
  • A educação tem repercussão na produtividade. A linha de produção de empresas no Brasil – onde um estudo de 2006 da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico mostrou que mais de 60% dos jovens de 15 anos são analfabetos funcionais – produz nove celulares por hora, em comparação aos 15 fabricados na Coréia do Sul.
  • Os executivos reconhecem a importância da educação nos seus negócios, de forma que eles passaram a direcionar recursos financeiros para ampliar as iniciativas educacionais como parte de sua estratégia de sustentabilidade dos negócios.

A EIU, que baseou o estudo em sete entrevistas fundamentais, cita um aumento de enfoques inovadores do setor privado, como o apoio ao envolvimento direto no recrutamento, treinamento e gerenciamento de professores.

No Brasil, o projeto “Todos pela Educação” é composto por um grupo de industriais de peso que trabalham para melhorar os padrões educacionais. “Eles organizam eventos com participação do ministro da Educação e secretários de Estado para discutir a responsabilidade sobre os resultados do sistema de educação do Brasil”, disse o Dr. Alberto Rodriguez, pesquisador em educação do Banco Mundial.

Rodriguez explicou que o setor privado passou da filantropia para o apoio a uma força de trabalho mais educada. “Os industriais brasileiros que comandam essas grandes empresas diriam: ‘Temos de servir às pessoas da nossa comunidade, para isso vamos construir uma grande escola para eles’. Então perceberam que isso não é suficiente, pois tinham um problema, que era o fato de que agora competem em uma economia globalizada e não estão capacitados para tal.”

“Encomendamos o estudo: para obter uma visão ainda mais profunda sobre os enfoques efetivos na melhoria da educação com o objetivo de ajudar o crescimento comercial e econômico”, disse Ienne. “O Programa de Membros da FedEx PyMEx, que fornece aos pequenos negociantes e empreendedores seminários educativos em exploração no mercado global, está baseado no nosso entendimento do potencial que a educação tem na sustentabilidade dos negócios”, conclui.

Para fazer o download do estudo, clique aqui.

Sobre a FedEx Express

A FedEx Express é a empresa líder mundial em transporte expresso, fornecendo entrega rápida e confiável em mais de 220 países e territórios. A FedEx Express usa uma rede aérea e terrestre global para acelerar a entrega de remessas com curto prazo, com uma hora e data definidas, com garantia do dinheiro de volta.

Sobre a FedEx Express América Latina & Caribe

A FedEx Express Divisão da América Latina e do Caribe atende a mais de 50 países e territórios e emprega mais de 3.400 pessoas comprometidas com a total satisfação do cliente. A FedEx Express LAC atua como um pilar no crescimento da região e continua com seu compromisso, através do Programa de Membros FedEx PyMEx, com a primeira iniciativa de compartilhar com pequenos e médios exportadores o oferecimento de formas inovadoras de acesso ao mercado global.

Fonte: Ketchum Estratégia

Bom dia e bom trabalho.

AMBEV anuncia investimento de R$ 206 milhões

Duas novas unidades de biomassa começaram a operar em 2007, elevando para 34% a utilização de fontes renováveis de energia pela empresa

A AmBev anuncia o investimento de R$ 206 milhões nas áreas de Meio Ambiente, Gente e Gestão e Consumo Responsável para 2008. O Relatório de Sustentabilidade de 2007, com base na metodologia GRI (Global Reporting Initiative), lançado nesta quarta-feira (06/8), traz como principais destaques o aumento da utilização de energias renováveis e a conseqüente diminuição da emissão de poluentes, a redução do uso de água, o reaproveitamento de resíduos industriais, o aprimoramento da gestão de pessoal e continuidade do compromisso com o consumo responsável.

Os resultados obtidos com a utilização do Sistema de Gestão Ambiental (SGA), adotado em todas as fábricas evoluíram de forma consistente. Duas novas unidades de biomassa começaram a operar – Filial Minas (Juatuba – MG) e Filial Cebrasa (Anápolis – GO) – elevando para sete o número de fábricas da Companhia que adotam este tipo de combustível.

Com isso, a matriz energética calorífica da AmBev passou a ser constituída por 34% de fontes renováveis de energia. Nos últimos quatro anos aumentou em dez vezes a utilização de biomassa. Como conseqüência, houve diminuição na emissão de gases causadores do efeito estufa. Nos últimos cinco anos, a redução foi de 29,3%, o equivalente ao plantio de 1,5 milhão de árvores. Ainda em 2007, a AmBev recebeu, no Brasil, certificação pioneira das Nações Unidas no setor de bebidas para a venda de créditos de carbono.

Economia de água foi de 22%

Outro aspecto positivo apresentado pelo relatório foi a contínua redução do uso de água na produção de bebidas. A AmBev, referência mundial neste segmento, reduziu nos últimos cinco anos em 22% o consumo relativo de água para a fabricação de seus produtos. Algumas das unidades são referências internacionais, como as Filiais Brasília Gama (Brasília – DF) e Curitiba – PR que atingiram, respectivamente, os índices de 3,26 e 3,33 litros de água por litro de cerveja produzida.

A média foi de 4,19 litros de água por litro de bebida, incluindo as unidades do Brasil e HILA (América Latina Hispânica). Em refrigerantes, as Filiais Jundiaí – SP e Sapucaia do Sul (Sapucaia – RS) registraram médias de 1,63 e 1,83, respectivamente.

Reaproveitamento de resíduos: 98,2%

Em 2007, 98,2% dos resíduos industriais foram reaproveitados. Além de proporcionar receita adicional de R$ 66,8 milhões para a empresa, esse trabalho permite a geração de renda e emprego em outras cadeias produtivas. As atividades externas voltadas para a reciclagem foram ampliadas. Mais de 12 cooperativas foram integradas ao Programa Reciclagem Solidária. Ao todo, 36 o grupos de catadores já beneficiados pelo Programa, em nove estados do Brasil. Para se ter uma idéia, em seis meses, de setembro de 2007, a março deste ano, foram coletadas 1,5 toneladas em 16 cooperativas, que atualmente fazem parte do Programa.

30% dos funcionários promovidos

A Gente AmBev permanece como grande diferencial e absoluta prioridade da companhia, que tem hoje 35 mil funcionários – 25 mil Brasil e Hila. Capacitação continuada é o foco desta área. Treinamentos, MBAs, cursos de graduação e pós-graduação são algumas das oportunidades oferecidas pela AmBev, que não limita sua ação aos funcionários fixos. Cerca de 30% dos funcionários foram promovidos e 18 mil, incluindo parceiros, participaram de treinamentos promovidos pela Universidade AmBev (UA).

60 mil bafômetros doados para órgãos públicos

A companhia também foi pioneira na criação de um programa de consumo responsável de bebida alcoólica. Iniciadas em 2001, as ações são desenvolvidas em duas frentes: Se Beber não Dirija e Peça o RG, que estimula o cumprimento da lei que proíbe a venda de bebidas alcoólicas a menores de idade. O símbolo do programa é um Boomerangue, acompanhado da frase “É mais divertido ir e voltar”. Desde o início do Programa AmBev de Consumo Responsável, cerca de 60 mil bafômetros foram doados para diversos órgãos do Poder Público.

Dados Socioambientais – AmBev 2007

Ø 22% de economia de água em cinco anos

Ø 98,2% de reaproveitamento de subprodutos e R$ 66,8 milhões de receita com a venda.

Ø 34% de fontes renováveis de energia na matriz energética calorífica

Ø Redução de 29,3% na emissão de gases de efeito estufa nos últimos cinco anos

Ø 30% dos funcionários promovidos

Ø 18 mil pessoas, incluindo parceiros, participaram de treinamentos pela Universidade AmBev

Ø 60 mil bafômetros doados para órgãos de Poder Público

Fonte: Grupo Máquina – Comunicação Corporativa Integrada

Bom dia e bom trabalho.

Prêmio Nobel da Paz no “RODA VIVA”

O programa Roda Viva, da TV Cultura, leva ao ar nesta segunda-feira (28/07), às 22h40, a entrevista (inédita e gravada) com Rajendra Pachauri, presidente do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, sigla em inglês). Em nome do IPCC, Pachauri foi agraciado com o Prêmio Nobel da Paz 2007, juntamente com o ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore.

Considerado um dos mais influentes personagens do debate internacional sobre o meio ambiente, ele vem chamando a atenção do mundo para a questão ambiental e para a estreita relação entre recursos naturais e paz.

A bancada de entrevistadores é formada por Cláudia Tavares (repórter do programa Repórter Eco, da TV Cultura); Claudio Angelo (editor de Ciência do jornal Folha de S. Paulo); Herton Escobar (repórter de Ciência e Meio-Ambiente do jornal O Estado de S. Paulo); e Alexandre Mansur (editor de Ciência e Tecnologia da revista Época). O programa é mediado pela jornalista Lillian Witte Fibe.

Fonte: TV Cultura

Bom dia e bom trabalho.

Honda lança protótipo de baixa emissão de poluentes em Londres

A Honda aproveita o Salão Internacional de Londres (British International Motor Show), que ocorre entre os dias 23 de julho e 9 de agosto, para apresentar o protótipo OSM (Open Study Model).

O modelo da categoria roadster (conversível de dois lugares) se destaca pelo seu design e pela baixa emissão de poluentes na atmosfera, reforçando, assim, um dos principais compromissos da marca: a de buscar fontes alternativas de energia para preservar o meio ambiente.

O veículo foi lançado sob o tema “Limpo e Dinâmico” (Clean and Dynamic) e com a proposta de antecipar as próximas gerações de modelos esportivos: design futurista, além de curvas acentuadas e arredondadas. O OSM foi concebido para proporcionar máxima ergonomia ao motorista. Além disso, o painel está divido em dois níveis, facilitando a leitura do motorista e deixando as informações mais importantes em destaque. Acima do painel de instrumentos convencional, há uma tela horizontal, que concentra o velocímetro digital.

Do lado externo, outros atrativos. Sua carroceria tem como principal característica a ausência de frisos ou grades. A superfície do capô é lisa e há poucos vincos. O que também chama a atenção é a grande entrada de ar frontal, além do conjunto óptico dianteiro com formas aguçadas e iluminação azulada.

O modelo OSM é resultado de estudos dos engenheiros do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Honda, localizado em Offenbach, na Alemanha. Até o momento, não há planos para o início da produção do protótipo.

FCX Clarity na Inglaterra

O estande da Honda no Salão Internacional de Londres também irá expor outros modelos ecologicamente responsáveis. Um dos veículos será o Honda FCX Clarity. O automóvel movido a hidrogênio é o primeiro no mundo certificado pelos principais órgãos de proteção ambiental dos Estados Unidos (EPA – Environmental Protection Agency; e CARB – California Air Resources Board) e começou a ser vendido em julho deste ano no mercado norte-americano.

O veículo utiliza uma tecnologia que converte hidrogênio em eletricidade, resultando na emissão apenas de vapor d´água. Além disso, a moderna e exclusiva bateria V Flow, uma evolução da avançada tecnologia da bateria Honda FC Stack, está alojada em um novo e ergonômico túnel central e é 65% menor que a versão anterior. Desta forma, o modelo se tornou de duas a três vezes mais econômico que veículos movidos a gasolina, e uma vez e meia a mais que os carros híbridos.

O CR-Z (Compact Renaissance Zero) também faz parte dos destaques da Honda no evento na capital inglesa. Com um design inovador, teto solar panorâmico e iluminação por LED´s, o carro-conceito é equipado com o sistema híbrido IMA (Integrated Motor Assist – Motor de Assistência Integrado). Utiliza como principal fonte de energia o motor a gasolina de baixa emissão de poluentes, auxiliado por outro elétrico.

Fonte: LinkPress Assessoria

Bom dia e bom trabalho.

Pesquisa da Nokia revela que apenas 2% dos usuários de celulares no Brasil reciclam seus aparelhos

Uma pesquisa realizada pela Nokia em 13 países aponta que somente 3% das pessoas no mundo têm o hábito de reciclar seus celulares antigos – no Brasil este número é um pouco menor, de 2%. Segundo o levantamento, a maioria guarda em casa os aparelhos sem uso. O levantamento revela ainda que três em cada quatro consumidores nem sequer pensam em reciclar seus dispositivos e quase a metade ignora que seja possível fazer isso.

O trabalho se baseia em entrevistas com 6500 pessoas, distribuídas entre Finlândia, Alemanha, Itália, Rússia, Suécia, Reino Unido, Emirados Árabes Unidos, EUA, Nigéria, Índia, China, Indonésia, além de Brasil. O estudo foi desenvolvido para ajudar a Nokia a descobrir mais sobre atitudes e comportamentos dos consumidores com relação à reciclagem e subsidiar os programas e os esforços da empresa para aumentar os índices de reciclagem dos celulares em desuso.

“Os resultados demonstram que quando os celulares finalmente chegam ao final de suas vidas úteis poucos são reciclados. Muita gente simplesmente desconhece que os aparelhos antigos e sem uso, guardados nas gavetas, podem ser reaproveitados e como isso pode ser feito. A Nokia está trabalhando com dedicação para facilitar isso, dando mais informações e expandindo seus programas globais de recuperação”, diz Markus Terho, diretor de Assuntos Ambientais e Mercados da Nokia.

De acordo com o executivo da Nokia, se todos os três bilhões de usuários no mundo devolvessem pelo menos um aparelho em desuso, poderíamos economizar 240.000 toneladas de matéria prima e reduzir a emissão de gases, com efeito idêntico à retirada de quatro milhões de carros das ruas. “Juntas, pequenas ações individuais podem fazer uma grande diferença”, afirma Terho.

As conclusões ressaltam que, apesar de as pessoas possuírem em média cinco celulares, poucos deles estão sendo reciclados. Conforme o estudo, 44% dos consumidores no mundo deixam os aparelhos sem uso guardados em casa, enquanto no Brasil este percentual cai para 32%. Mas há quem prefira dar outro destino para os antigos telefones: um quarto doa seus dispositivos para amigos ou familiares e 16% vendem seus aparelhos usados nos chamados mercados emergentes.

Em nível global, 74% disseram que não pensam em reciclar seus telefones, apesar do fato de quase o mesmo número, 72%, achar que a reciclagem faz diferença para o meio ambiente. Esse resultado se repetiu em muitos países, com 88% dos indonésios não considerando a reciclagem de aparelhos em desuso, 84% dos indianos e 78% dos brasileiros, suecos, alemães e finlandeses.

A pesquisa mostra que uma das principais razões por tão poucas pessoas reciclarem seus celulares é que elas simplesmente não sabem que isso é possível. De fato, até 80% dos aparelhos da Nokia são recicláveis – materiais reutilizados podem ser aproveitados para fazer novos produtos como chaleiras de cozinha, bancos de parques, obturações dentárias e até saxofones. Em todo o mundo, metade das pessoas entrevistadas não sabia que os telefones podiam ser reciclados dessa forma, sendo esse conhecimento mais baixo na Índia com 17% e na Indonésia com 29%, e mais alto no Reino Unido com 80% e na Finlândia e Suécia com 66%.

“Utilizando-se a melhor tecnologia de reciclagem, nada é desperdiçado. Entre 65% e 80% dos aparelhos Nokia podem ser reciclados. O plástico que não pode ser reutilizado é queimado para produzir energia para o processo de reciclagem, enquanto outros materiais são moídos em pequenos pedaços e usados como material de construção ou na construção de estradas. Desse modo, nada deve ir para o lixo”, completa o diretor de Assuntos Ambientais e Mercados da Nokia.

Muitas pessoas entrevistadas na pesquisa, mesmo as que estavam cientes de que um aparelho podia ser reciclado, desconheciam como fazer isso. Dois terços disseram que não sabiam como reciclar um aparelho em desuso e 71% ignoravam onde fazer isso.

A Nokia tem pontos de coleta de celulares em 85 países, o maior esquema voluntário da indústria de celulares. As pessoas podem deixar seus aparelhos antigos nas lojas da Nokia e em quase cinco mil centros de atendimento. Para encontrar o ponto de coleta mais próximo, as pessoas podem visitar a página, clique aqui.

Em resposta às conclusões da pesquisa, a Nokia está desenvolvendo uma série de campanhas e atividades para dar às pessoas mais informações sobre reciclagem de baterias, carregadores e acessórios de celulares. A empresa está também ampliando seu programa global de recuperação, adicionando mais caixas de coleta e intensificando as divulgações para despertar uma maior conscientização.

Sobre a Nokia

A Nokia é líder mundial em mobilidade, contribuindo para a transformação e o crescimento das indústrias convergentes de comunicação e Internet. Oferecemos dispositivos móveis com serviços e softwares que proporcionam experiências de música, navegação, vídeo, televisão, imagem, jogos e mobilidade corporativa. Outro foco de negócio da Nokia é o desenvolvimento de serviços de Internet, assim como nossas soluções corporativas. A Nokia também desenvolve equipamentos, soluções e serviços para redes de comunicação por meio da Nokia Siemens Networks. Para mais informações, acesse aqui. Os produtos Nokia também podem ser adquiridos pela loja virtual.

Fonte: LVBA

Bom dia e bom trabalho.