Congresso de Segurança Brasil 2011

Em Congresso na Fiesp (16/9/2011), autoridades debatem agenda estratégica para Copa e Olimpíadas. Mais informações, clique aqui.


Advertisements

Brasil paga preço alto pela falta de investimento nos setores de transportes e energia

Especialistas afirmam que ações estão em andamento para resolver problemas antigos 


Marcelo Perrupato, do Ministério dos Transportes: “Estamos pagando o preço de duas décadas e meia perdidas sem investimento em transportes no Brasil”

Durante o 6º Encontro de Logística e Transportes da Fiesp, o painel Planejamento para o Desenvolvimento do Setor de Transportes discutiu o futuro do setor no País e as ações que estão sendo tomadas para garantir um resultado positivo.

Marcelo Perrupato, secretário Nacional de Política de Transporte do Ministério dos Transportes, confirmou que a história do planejamento dos transportes no Brasil teve um hiato muito grande. “Estamos pagando o preço de duas décadas e meia perdidas sem investimento no planejamento de transportes no Brasil”, afirmou.

Nos últimos anos a economia mundial e a brasileira têm sofrido mudanças importantes. Segundo Perrupato, a visão do Plano Nacional de Logística e Transportes era de enxergar o Brasil como um todo. Com algum tempo ficou claro que o País estava com taxas de crescimento para o futuro acima do normal no centro-oeste, centro-norte e nordeste. O plano então, passou a ter planejamento em cima dos estudos que traziam essas informações. Na opinião do Secretário, o setor de logística brasileiro deve sofrer um forte processo de modificação.

O diretor de estudos econômicos, energéticos e ambientais da Empresa de Pesquisas Energéticas, Amilcar Guerreiro, falou sobre as congruências entre os setores de energia e transportes. “Os setores são ambos de infraestrutura e com um prazo de maturação mais longo, eles podem ser responsáveis por um hiato no crescimento econômico do País”.

Os dois setores concordam que o processo de planejamento é permanente e deve sempre contar com uma equipe capacitada e visão de longo prazo.

Fonte: Carolina Zanqueta, Agência Indusnet Fiesp 15/06/2011