KIA Motors cresce em vendas

A Kia Motors Corporation anunciou ontem aumento de vendas em todos os mercados de atuação, em comparação ao mesmo mês do ano passado. No mercado global, as vendas cresceram em 19,9%, na China o aumento foi de 10,4%, na Coreia do Sul o registro foi de 6,1% e nos Estados Unidos 1%.

“No mercado norte-americano, aliás, nosso SUV Sportage alcançou vendas de 2.463 unidades, em março, quase o dobro de seu principal concorrente Hyundai Tucson. E, no primeiro trimestre, quase três vezes mais.

Foram 9.374 unidades do Sportage contra 3.678 do Tucson”, comenta José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors do Brasil.

No Brasil, as vendas em relação ao mês de fevereiro foram elevadas, registrando um aumento de 36,5%.

Por região, a Kia registrou venda de 22.546 unidades no mercado global, 14.540 unidades na China, 30.043 veículos na Coreia e 28.279 exemplares nos Estados Unidos.

Todos os números são referentes às vendas do mês de março de 2009 e o crescimento tem como base o mesmo mês de 2008.

As vendas no Oriente Médio e África tiveram forte alta em março, com 14.192 unidades comercializadas, o que representa um crescimento anual de 70%.

No acumulado do ano, nestes três primeiros meses de 2009, o número de vendas da Kia cresceu tanto no mercado global quanto na Coreia e nos Estados Unidos.

O mercado global registrou o maior ganho, representando 20,1% de crescimento em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto Coreia e Estados Unidos tiveram crescimento acumulado de 6,7% e 1.5%, respectivamente.

Kia Motors do Brasil

Neste mês de março, as vendas da KIA tiveram expressiva alta.

Em relação às vendas no varejo de fevereiro, o crescimento registrado é de 36,5%. Em emplacamentos, o crescimento foi um pouco menor – 15,38%.

Fonte: Textofinal Comunicação.
Foto: All-new Kia Forte Koup recognized as a ‘Best in Show’ at New York International Auto Show.

Advertisements

De dezembro para janeiro, produção industrial avança 2,3%

Em janeiro de 2009, a produção industrial avançou 2,3% frente a dezembro de 2008, na série com ajuste sazonal, interrompendo uma sequência de três resultados negativos.

O aumento observado na produção industrial, entre dezembro e janeiro, foi sustentado pela expansão em 15 dos 27 ramos investigados e atingiu três das quatro categorias de uso.

O desempenho mais importante para o resultado global foi o de veículos automotores, cuja expansão de 40,8% refletiu o retorno parcial das férias coletivas concedidas pelo setor nos meses anteriores.

Também merecem destaque os resultados de material eletrônico e equipamentos de comunicação (28,4%), borracha e plástico (13,6%), têxtil ( 10,3%) e alimentos (1,6%). Todos esses cinco ramos registraram forte recuo em dezembro: -40,8%, -39,0%, -20,3%, -11,9% e -4,3%, respectivamente.

Entre as indústrias que reduziram a produção, na passagem de dezembro para janeiro, destacam-se: máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-9,5%), refino de petróleo e produção de álcool (-3,6%) e metalurgia básica (-4,7%).

Ainda na comparação com o mês anterior, no corte por categorias de uso, os índices foram positivos em bens de consumo duráveis (38,6%), bens de capital (8,4%) e em bens intermediários (0,8%), enquanto a produção de bens de consumo semi e não duráveis (-0,6%) registrou recuo pelo quarto mês consecutivo.

A expansão observada na fabricação de bens de consumo duráveis vem após queda acumulada de 49,2% entre setembro e dezembro. O mesmo foi verificado em bens de capital, que cresceu após acumular perda de 26,5% em três meses.

Em bens intermediários o avanço observado interrompeu seqüência de cinco resultados negativos, que significaram uma perda de 20,8% na comparação dezembro 08/julho 08.

Fonte: IBGE, leia mais ao clicar aqui.