Plataforma de locação residencial Casai lança hoje sua marca no Brasil

 — Foto: Reprodução/site Casai
Foto: Reprodução/site Casai

Entre desembolsos com marketing, contratação de pessoas e reformas de imóveis, a empresa estima investimentos de R$ 100 milhões nos próximos dois anos no país

mexicana Casai — plataforma de locação de imóveis residenciais — lança nesta terça-feira sua marca no Brasil. Entre desembolsos com marketing, contratação de pessoas e reformas de imóveis, a empresa estima investimentos de R$ 100 milhões nos próximos dois anos no país. A Casai tem foco em unidades de alto padrão e vai concorrer com outras plataformas de aluguel, como a Housi, com hotéis e com hospedagem por meio do Airbnb.

A empresa já deu início ao piloto de suas operações, em São Paulo, com cadastro de 100 imóveis. No México, há 400 unidades em operação. Segundo o diretor de expansão, Daniel Hermann, a intenção é que a operação brasileira — em São Paulo e, em breve, também no Rio de Janeiro — supere a do país de origem no prazo de 12 a 18 meses.

O prazo de locação de imóveis pela plataforma da Casai vai de um dia até um ano. Na capital paulista, a atuação começa por Vila Nova Conceição, Vila Olímpia, Itaim Bibi e Jardins, bairros de padrão “triple A”, como define o executivo. Studios e apartamentos de um e dois dormitórios são prioridade.

A locação pode ser feita pelo aplicativo da Casai. Para cada hóspede, é gerado um novo código de acesso ao apartamento, onde o inquilino consegue, por meio de uma SmartTV, entrar nos aplicativos que já assina, por exemplo, Netflix e Spotify. Concierges estão disponíveis on-line para tirar quaisquer dúvidas sobre serviços na região.

Questionado sobre a expectativa do mercado de que o turismo de negócios voltará a crescer, após a pandemia de covid-19, mas não atingirá os patamares anteriores ao isolamento, o executivo respondeu que é provável que o número de viagens seja reduzido, mas que o prazo de hospedagem tende a aumentar nos deslocamentos que ocorrerem, o que beneficia a plataforma.

Por enquanto, estão cadastradas, na capital paulista, unidades residenciais de gestoras de recursos, como a Cerberus, e pertencentes a “family offices”. No modelo adotado, está prevista também a locação de imóveis de pessoas físicas. A Casai não possui unidades próprias.

No radar para a composição da carteira de aluguel, a empresa mira desde imóveis novos — comprados na planta e que ainda precisam de acabamento — a unidades usadas com até dez anos de entrega. A Casai cuida da reforma dos apartamentos recém-concluídos. Nos imóveis usados, também são feitos ajustes aos padrões da empresa. Nos dois casos, a decoração tem elementos com referências à cidade e o inquilino encontra a unidade mobiliada.

A Casai consegue comprar materiais em escala e tem arquitetos e profissionais de design em sua equipe, o que contribui para que proporcione boa rentabilidade aos proprietários em relação ao investimento realizado na reforma e equipagem do apartamento, de acordo com Hermann. A busca do maior rendimento possível também ocorre pela definição pela empresa dos melhores prazos de locação para cada unidade em cada bairro.

Sem informar valores, o diretor de expansão afirma que o aluguel cobrado pela Casai será superior ao dos concorrentes.

O prazo mínimo de contrato entre o proprietário da unidade e a empresa é de 12 meses. “Mas o ideal é que o contrato tenha de três a cinco anos”, afirma o executivo.

Fonte: Chiara Quintão, Valor, 04/05/2021.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s