Competição, Competitividade e Inteligência Competitiva é na Revista Inteligência Competitiva

Sumário

Editorial

Editorial Janeiro – Março PDF
Alfredo Passos

Artigos

Comprometimento Organizacional: Estudo do Modelo Tridimensional em uma Cooperativa de Crédito na Capital Gaúcha PDF
Sheila Cristina Tavares de Oliveira Bassani, Flávia Camargo Bernardi, Mikael Dalberto, Maria Emilia Camargo, Uiliam Hahn Biegelmeyer 1-43
Qualidade sobre rodas: o nível de satisfação de consumidores sobre os serviços de alimentação em Food Trucks PDF
Pyetro Pergentino de Farias, Joelma Ferreira da Silva, Jammilly Mikaela Fagundes Brandão 44-71
Mercado de Transferências de Atletas de Futebol e o Processo de Globalização: Correlação entre os valores do Transfermarkt e do jogo eletrônico Football Manager PDF
Eric Matheus Rocha Lima, Ivan Wallan Tertuliano, André Luis Aroni, Afonso Antonio Machado, Carlos Norberto Fischer 72-90
Fusão entre ALL – América Latina Logística e Rumo Logística Operadora Multimodal: Uma Análise a partir da Visão Baseada em Recursos. PDF
Anderson Aquiles Viana Leite, Cristiane Teresinha Agnolin, Carlos Eduardo Carvalho 91-128
MAPEAMENTO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA SOBRE APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO NA BASE SPELL PDF
Mayara Pires Zanotto, Juliano Uecker de Lima, Diego Luís Bertollo, Adrieli Pereira Radaeli, Fabiano Larentis, Eric Henry Charles Dorion 129-153
Perspectivas Teóricas do Mainstream da Administração Estratégica: Uma Meta-Síntese PDF
Jonathan Simões Freitas, Júlia Araújo Tiso Mudrik, Paulo Vítor Guerra, Lin Chih Cheng, Carlos Alberto Gonçalves 154-182

Estudo de Caso

IN SEARCH OF INNOVATION: LOOKING OUTSIDE THE COMPANY PDF (English)
Celso dos Santos Malachias, Luiz Carlos Di Serio 183-214

Relato Técnico-Científico

Notas críticas acerca das Estruturas Organizacionais Competitivas PDF
luciano augusto toledo, Guilherme de Farias Shiraishi, Conceiçao Aparecida Barbosa 215-231
EMPREENDEDORISMO DIGITAL: UM ESTUDO SOBRE O USO DA TECNOLOGIA COMO ALAVANCAGEM DE NEGÓCIOS EM UMA STARTUP EDUCACIONAL PDF
Alexandre Albuquerque Domingues, Kathryn Floyd-Wheeler 232-261
Balanceamento da remuneração estratégica da força de vendas como vantagem competitiva PDF
Viviana Beatriz Huespe Aquino Vieira, Claudio Antonio Rojo 262-273

Chamada para publicação na Revista Inteligência Competitiva

A Revista Inteligência Competitiva recebe artigos, relatos técnicos, de experiências, de pesquisas, entrevistas, resenhas e estudos de casos em regime de fluxo contínuo, ou seja, os materiais são avaliados à medida que são recebidos.

A submissão é realizada por este link. CLIQUE AQUI.

Nós agradecemos muito a colaboração de todos e contamos com os autores que vêm contribuindo com pesquisas voltadas à Inteligência Competitiva.

Prof. Dr. Alfredo Passos
Editor Chefe

Revista Inteligência Competitiva

A Revista Inteligência Competitiva tem como proposta ser um veículo acadêmico para a produção na área de Inteligência Competitiva, Competição e Competitividade. Está aberta a professores, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação para a divulgação de artigos científicos, ensaios e estudos de caso didáticos, cujos temas sejam de interesse à Inteligência Competitiva, Competição, Competitividade tais como:
– Estratégia e Inteligência Competitiva
– Campos e Armas da Competição – CAC
– Análise da Cadeia de Valor
– Análise de Cenários
– Criação e implantação de Programas de Inteligência de Classe Mundial
– Fontes de Inteligência e Técnicas de Coleta
– Inteligência Tecnológica
– Pontos Cegos (Competitive Blindspots)
– War Game
A lista tem como objetivo ilustrar, não restringir. A revista abre espaço para artigos de discussão teórica, de caráter bibliográfico ou ensaístico, entendendo que a reflexão crítica na área é tão importante quanto a pesquisa empírica.
Pelo trabalho voluntário iniciado e premiado pela Strategic and Competitive Intelligence Professionals – SCIP em 2003 no Brasil, a revista disponibiliza os artigos à comunidade sem ônus para o leitor.
Os artigos submetidos sofrem avaliação de pares titulados pelo sistema blind review. A revista publicará artigos em Português. Esperando com isto contribuir com o aprofundamento da discussão nesse campo de estudos tão importante para o país, os editores e o comitê científico aguardam as submissões dos colegas da área.
Prof. Dr. Alfredo Passos
Editor Chefe

Inteligência Competitiva Empresas: Duratex apresenta receita líquida de R$ 952 milhões no primeiro trimestre de 2017

A Duratex anuncia os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2017 (1T17). A empresa apresenta melhora da performance no comparativo com o mesmo período do ano anterior, consequência dos primeiros sinais de retomada da economia e das ações internas focadas em eficiência e gestão de custos. No 1T17, a Duratex teve receita líquida de R$ 952 milhões, montante 5,6% superior ao registrado no mesmo período de 2016. Já a margem EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 15,6%.

“Notamos que os índices de confiança estão melhores e que há uma expectativa positiva de acelerar a retomada no segundo semestre”, afirma o presidente da Duratex, Antonio Joaquim de Oliveira.

No trimestre, a Deca teve um aumento de 25,5% de volume em comparação ao mesmo período do ano passado. A Divisão também cresceu 11,5% da receita no mercado interno em relação ao primeiro trimestre de 2016. O resultado deve-se à base de custos mais enxuta e maiores volumes, devido às iniciativas do Sistema de Gestão Duratex, que contempla redução de custos e ganhos de produtividade e eficiência, além dos ajustes de capacidades realizados ainda no segundo semestre do ano passado. 

Novamente, a Deca apresentou resultado superior à média de mercado, registrando volume e receita crescentes em um cenário em que a ABRAMAT mostrou uma retração no setor de 6,3%.

A Divisão Madeira registrou melhora de rentabilidade, acumulando no trimestre uma margem EBITDA de 15%, ante 11,6% no 1T16. O resultado foi obtido em um período em que há paradas programadas para manutenção das fábricas, procedimento anual e rotineiro para garantir a segurança e a qualidade da produção.

O desempenho da Divisão Madeira também está ligado ao mix de produtos vendidos no período. Ao analisar os três primeiros meses de 2017, nota-se uma concentração de venda de painéis de menor rentabilidade para a indústria moveleira.

Durante o primeiro trimestre, a Duratex investiu R$ 43,9 milhões destinados à manutenção das fábricas e R$ 54,5 milhões utilizados para atividades de reflorestamento, somando R$ 98,4 milhões.

Entre as prioridades de 2017 estão o foco na Agenda Interna, reforçando as iniciativas do Sistema de Gestão Duratex (SGD), que inclui redução de custos fixos, o Orçamento Base Zero (OBZ), redução dos custos variáveis e racionalização do Capital de Giro. A empresa também está colocando em operação um novo processo que tornará o planejamento de produção mais aderente à demanda, o S&OP (Sales and Operations Planning), trazendo melhorias na gestão de estoque, no atendimento aos clientes e na produtividade industrial.

Além dos resultados conquistados por meio das iniciativas de melhoria de produtividade, a Duratex segue com a jornada de transformação cultural, iniciada em 2015. “Estamos certos de que, com todo o trabalho desenvolvido internamente, somado à retomada da economia, teremos uma empresa ainda mais forte para manter a liderança de mercado”, diz Oliveira. 

Fonte: Assessoria Duratex.

Official Website of Revista Inteligência Competitiva

A partir de agora a Revista Inteligência Competitiva passa a contar com um website exclusivo para divulgar os artigos da edição mais recente e as novidades em Inteligência Competitiva, além é claro dos posts desse blog.

Para acessar, é só clicar.

AI is the new UI – Tech Vision 2017 Trend 1

Moving beyond a back-end tool for the enterprise, artificial intelligence (AI) is taking on more sophisticated roles within technology interfaces. From autonomous driving vehicles that use computer vision, to live translations made possible by machine learning, AI is making every interface both simple and smart–and setting a high bar for how future experiences will work. AI is poised to act as the face of a company’s digital brand and a key differentiator – and become a core competency demanding of C-level investment and strategy.

Source: Accenture Technology

Competitive Intelligence: Gartner Survey Shows 42 Percent of CEOs Have Begun Digital Business Transformation

IT-Related Changes Are No. 2 Business Priority; Highest Ranking Since Launch of CEO Survey

Figure 1: CEO Top Business Priorities for 2017 and 2018

Source: Gartner (April 2017)

An unsettled global political environment has not shifted CEOs’ focus on profits and growth in 2017. Growth is the No. 1 business priority for 58 percent of CEOs, according to a recent survey* of 388 CEOs by Gartner, Inc. This is up from 42 percent in 2016.

Product improvement and technology are the biggest-rising priorities for CEOs in 2017 (see Figure 1). “IT-related priorities, cited by 31 percent of CEOs, have never been this high in the history of the CEO survey,” said Mark Raskino, vice president and Gartner Fellow. “Almost twice as many CEOs are intent on building up in-house technology and digital capabilities as those plan on outsourcing it (57 percent and 29 percent, respectively). We refer to this trend as the reinternalization of IT — bringing information technology capability back toward the core of the enterprise because of its renewed importance to competitive advantage. This is the building up of new-era technology skills and capabilities.”

CEO Understanding of Digital Business Is Improving

While the idea of shifting toward digital business was speculative for most CEOs a few years ago, it has become a reality for many in 2017.

Forty-seven percent of CEOs are being challenged by the board of directors to make progress in digital business, and 56 percent said that their digital improvements have already improved profits. “CEO understanding of the benefits of a digital business strategy is improving,” said Mr. Raskino. “They are able to describe it more specifically. Although a significant number of CEOs still mention e-commerce or digital marketing, more of them align it to advanced business ideas, such as digital product and service innovation, the Internet of Things, or digital platforms and ecosystems.”

CEOs have also progressed in their digital business endeavors. Twenty percent of CEOs are now taking a “digital-first” approach to business change. “This might mean, for example, creating the first version of a new business process or in the form of a mobile app,” said Mr. Raskino. “Twenty-two percent are taking digital to the core of their enterprise models. That’s where the product, service and business model are being changed and the new digital capabilities that support those are becoming core competencies.”

Half of CEOs Have No Digital Success Metric

Although more CEOs have digital ambitions, the survey revealed that nearly half of CEOs have no digital transformation success metric. “For those who are quantifying progress, revenue is a top metric: Thirty-three percent of CEOs define and measure their digital revenue,” said Mr. Raskino.

CIOs to Help CEOs Set Success Criteria for Digital Business

Deeper transformation can only be achieved at scale if it is systematically driven. “CIOs should help CEOs set the success criteria for digital business,” added Mr. Raskino. “It starts by remembering that you cannot scale what you do not quantify, and you cannot quantify what you do not define. You should also ask yourself: What is ‘digital’ for us? What kind of growth do we seek? What’s the No. 1 metric and which KPIs must change?”

Many CEOs have recognized that being open-minded, entrepreneurial, adaptable and collaborative are the most-needed digital leadership mindsets. “It is time for CEOs to scale up their digital business ambition and let CIOs help them set and track incisive success metrics and KPIs, to better direct business transformation. CIOs should also help them toward more-abstract thinking about the nature of digital business change and how to lead it,” concluded Mr. Raskino. “The disruption it brings often cannot be dealt with wholly within existing frames of reference.”

More-detailed analysis is available for Gartner clients in the report, “2017 CEO Survey: CIOs Must Scale Up Digital Business.”

Gartner CIO Events

Mr. Raskino will share further details on the survey at the CIO & IT Executive Summit 2017, May 18-19 in Munich. Gartner analysts, and industry leaders will discuss key issues facing the CIO during Gartner’s CIO conferences taking place May 8-9 in Magaliesburg, South Africa and June 6-8 in Toronto. You can follow news and updates from the event on Twitter using #GartnerCIO.

Visit Gartner CIO Leadership Hub for complimentary research and webinars.

About the survey:

Gartner conducted a survey of 388 CEOs and senior business leaders in user organizations worldwide in the fourth quarter of 2016 to examine their business issues and some areas of IT technology agenda impact. Most responding organizations were those with annual revenue of $1 billion.

About Gartner

Gartner, Inc. (NYSE: IT) is the world’s leading information technology research and advisory company. Gartner delivers the technology-related insight necessary for its clients to make the right decisions, every day. From CIOs and senior information technology (IT) leaders in corporations and government agencies, to business leaders in high-tech and telecom enterprises and professional services firms, to supply chain professionals, digital marketing professionals and technology investors, Gartner is the valuable partner to clients in more than 11,000 distinct enterprises. Gartner works with clients to research, analyze and interpret the business of IT within the context of their individual roles. Gartner is headquartered in Stamford, Connecticut, U.S.A., and has almost 9,000 associates, including 1,900 research analysts and consultants, operating in more than 90 countries. For more information, visit www.gartner.com.

Source: Gartner