Inteligência Competitiva Imóveis 4: Imóveis com mais de 85 m² perdem espaço

O crescimento de 4,8% no número total de lançamentos de imóveis residenciais na cidade de São Paulo, em cinco anos, foi puxado para baixo pelos apartamentos com mais de 85 m².

A quantidade de moradias novas desse nicho despencou 37,5% no período, enquanto aquelas com tamanho inferior a esse patamar seguiram o caminho inverso, com alta de 33,9%.

Um dos principais entraves, além da escalada do preço, é a restrição ao uso do FGTS do trabalhador na compra do imóvel, limitado a moradias até R$ 500 mil.

Apesar da disparada nos valores, esse teto não é reajustado pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) desde março de 2009, quando estava em R$ 350 mil.

“Estamos pleiteando uma correção nesse valor”, afirma Luiz Antonio França, presidente da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), sem, no entanto, informar o novo limite proposto ao governo.

Algumas construtoras até oferecem desconto sobre o valor de mercado para conseguir enquadrar o imóvel nas regras, mas a ação é inócua para quem depender de financiamento, já que “a avaliação do banco é soberana”, como lembra França.

Fonte: Folha de S.Paulo – Mercado, 6/9/2011.

Advertisements

5 thoughts on “Inteligência Competitiva Imóveis 4: Imóveis com mais de 85 m² perdem espaço”

  1. Velhos hábitos

    Foi-se o tempo onde grandes imóveis eram objetos de desejo dos consumidores. Com menor poder aquisitivo e a facilidade de morar em áreas centrais, os consumidores preferem alocar/comprar apartamentos menores, em busca de maior praticidade no dia-a-dia. Além disso, as pessoas passam cada vez menos tempo em casa e buscam entretenimento, já que são, em sua maioria, solteiros ou recém-casados. A facilidade em vender ou alocar pequenos imóveis também é um fator importante e decisivo.

    Com a tendência do número cada vez menor de membros na família, maior participação da mulher no mercado de trabalho, o aumento no custo dos serviços de empregados domésticos. Agregado as diversas opções de lazer, gastronomia, oferecidas pelas grandes capitais e condomínios, levam as pessoas usarem suas residências apenas como dormitório, além de facilitar a manutenção do mesmo por ser de pequeno porte.

    Outro fator determinante na compra de pequenos imóveis é a possibilidade do uso do FGTS, onde o comprador pode usar seu fundo de garantia para financiar a compra de imóveis até 500 mil reais.

    Atualmente, uma forte tendência de mercado é a customização que possibilita ao comprador escolher o número de quartos e remanejar o espaço a fim de otimizar e adequar a sua necessidade.

    Como pudemos observar que as prioridades do consumidor atual mudaram. Antigamente víamos que imóveis grandes eram sinônimos de conforto. Hoje, a tendência é o entretenimento, onde os consumidores optam por pequenas residências, porém por diversas opções de diversão e fácil acesso a elas.

    Carolina Andrade, Felipe Assato, Francieli Moraes, Mariana Linari e Paula Del Bosco.

    Like

  2. Velhos hábitos

    Foi-se o tempo onde grandes imóveis eram objetos de desejo dos consumidores. Com menor poder aquisitivo e a facilidade de morar em áreas centrais, os consumidores preferem alocar/comprar apartamentos menores, em busca de maior praticidade no dia-a-dia. Além disso, as pessoas passam cada vez menos tempo em casa e buscam entretenimento, já que são, em sua maioria, solteiros ou recém-casados. A facilidade em vender ou alocar pequenos imóveis também é um fator importante e decisivo.

    Com a tendência do número cada vez menor de membros na família, maior participação da mulher no mercado de trabalho, o aumento no custo dos serviços de empregados domésticos. Agregado as diversas opções de lazer, gastronomia, oferecidas pelas grandes capitais e condomínios, levam as pessoas usarem suas residências apenas como dormitório, além de facilitar a manutenção do mesmo por ser de pequeno porte.

    Outro fator determinante na compra de pequenos imóveis é a possibilidade do uso do FGTS, onde o comprador pode usar seu fundo de garantia para financiar a compra de imóveis até 500 mil reais.

    Atualmente, uma forte tendência de mercado é a customização que possibilita ao comprador escolher o número de quartos e remanejar o espaço a fim de otimizar e adequar a sua necessidade.

    Como pudemos observar que as prioridades do consumidor atual mudaram. Antigamente víamos que imóveis grandes eram sinônimos de conforto. Hoje, a tendência é o entretenimento, onde os consumidores optam por pequenas residências, porém por diversas opções de diversão e fácil acesso a elas.

    Carolina Andrade, Felipe Assato, Francieli Moraes, Mariana Linari e Paula Del Bosco.

    Like

  3. Grupo: Raphael Costa, Marcel Woo, Lucas Quintas, Luiz Alberto Vaz Guimarães Santoro

    1. Que novos hábitos das famílias ditam mercado nas metrópoles?
    2. Por que os imóveis com mais de 85 m² perdem espaço?
    3. Quais os lançamentos (em m²) que lideram altas

    1)Vários fatores influenciam as mudanças observadas no mercado imobiliário. Hoje em dia as pessoas casam-se muito mais tarde, pois dedicam mais tempo para se consolidarem profissionalmente. Além, disso as famílias estão cada vez menores, o que reflete diretamente nos tamanhos dos apartamentos procurados.
    Tanto o homem quanto as mulheres tem um dia a dia extremamente agitado e quase não ficam dentro de casa. Além disso, a própria infraestrutura dos bairros estão mais desenvolvidas, dando opções fáceis de lazer e alimentação fora de casa.

    2)Considerando o processo de concentração populacional nas grandes metrópoles vemos que seus espaços tornam-se cada vez mais disputados. Sendo assim, apartamentos com mais de 85 metros quadrados perdem demanda, pois ficam consequentemente mais caros. Imóveis menores são mais fáceis para locação, tendo em vistas os costumes já mencionados na questão anterior. Outro entrave é a restrição do uso do FGTS do trabalhador na compra do imóvel.

    3)Segundo a reportagem da Folha, a venda de apartamentos de até 45 m2 tiveram alta de 72% na comparação ao mesmo período do ano de 2007. Além disso, tendências como a escolha do numero de quartos/cômodos que o apartamento vai ter mostram-se muito fortes no setor.

    Like

  4. Grupo: Raphael Costa, Marcel Woo, Lucas Quintas, Luiz Alberto Vaz Guimarães Santoro

    1. Que novos hábitos das famílias ditam mercado nas metrópoles?
    2. Por que os imóveis com mais de 85 m² perdem espaço?
    3. Quais os lançamentos (em m²) que lideram altas

    1)Vários fatores influenciam as mudanças observadas no mercado imobiliário. Hoje em dia as pessoas casam-se muito mais tarde, pois dedicam mais tempo para se consolidarem profissionalmente. Além, disso as famílias estão cada vez menores, o que reflete diretamente nos tamanhos dos apartamentos procurados.
    Tanto o homem quanto as mulheres tem um dia a dia extremamente agitado e quase não ficam dentro de casa. Além disso, a própria infraestrutura dos bairros estão mais desenvolvidas, dando opções fáceis de lazer e alimentação fora de casa.

    2)Considerando o processo de concentração populacional nas grandes metrópoles vemos que seus espaços tornam-se cada vez mais disputados. Sendo assim, apartamentos com mais de 85 metros quadrados perdem demanda, pois ficam consequentemente mais caros. Imóveis menores são mais fáceis para locação, tendo em vistas os costumes já mencionados na questão anterior. Outro entrave é a restrição do uso do FGTS do trabalhador na compra do imóvel.

    3)Segundo a reportagem da Folha, a venda de apartamentos de até 45 m2 tiveram alta de 72% na comparação ao mesmo período do ano de 2007. Além disso, tendências como a escolha do numero de quartos/cômodos que o apartamento vai ter mostram-se muito fortes no setor.

    Like

  5. 1)Que novos hábitos das famílias ditam mercado nas metrópoles?
    Uma série de fatores influenciam os hábitos das famílias que vivem nas grandes metrópoles atualmente As famílias diminuiram, as pessoas tem menos filhos e há um número menor de integrantes morando em uma mesma casa. Além disso, o número de mulheres que trabalham for a de casa aumentou, e as pessoas passam mais tempo na rua do que em suas casas. Outro fator importante é a proximidade dos locais que as pessoas frequentam diariamente, como trabalho, escola além da presença de transporte publico nas proximidades da residencia.

    2)Por que os imóveis com mais de 85 m² perdem espaço?
    As contruções nas grande metropóles custam muito dinheiro devido a logística, mão de obra e outros fatores. Assim quanyo maior o imóvel – dependendo é claro de região em que está localizado -maior será seu valor. Desta forma, as pessoas tendem a optar por imóveis com menor metragem e que as vezes oferece uma gama de áreas comuns como piscinas, salões de festa, lavanderia e play ground expandindo a area de seu apartamento.

    3)Quais os lançamentos (em m²) que lideram altas?
    Houve uma alta de 33,9% em apartamentos com tamanho menor que 85 m² nos últimos cinco anos em São Paulo. Além disso, uma tendência observada é o surgimento de construtoras que personalizam o espaço interno dos apartamentos. Assim, o proprietário pode escolher a disposição dos cômodos, e seus tamanhos.

    Marcas 6A
    Fernando Leão, Mariana Moroni e Rebeca Coelho

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s