Dia das Crianças, presentes e os tributos

Para se ter uma idéia, o imposto embutido em uma bola de futebol é de 46,49%, constata estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT.

Os eletrônicos, que são os presentes mais solicitados pela garotada, tem como exemplo: 72,18% do valor do Playstation é de impostos, um MP3 ou iPOD, quase metade do valor é destinado ao pagamento de tributos, 49,45%.

Segundo o autor do estudo, o tributarista João Eloi Olenike, Diretor Técnico do IBPT, “não importa a época do ano ou o motivo da comemoração, quem sempre festeja é o Governo, devido à enorme carga tributária, que constantemente despeja soberba quantidade de dinheiro nos cofres públicos, comprovada pela arrecadação recorde na última semana, cujo superávit do governo federal cresceu 43,2% e chegou a R$ 68,43 bilhões“.

Tributos embutidos nos principais produtos

Aparelho MP3 ou iPOD

49,45%

Bicicleta

45,93%

Bola de futebol

46,49%

Brinquedos

34,30%

CD (Compact disk)

37,88%

Computador acima de R$ 3.000,00

31,61%

Computador até R$ 3.000,00

24,30%

DVD (cartucho)

44,20%

Estojos para lápis

40,33%

Guitarra

39,06%

Jogos Vídeo

72,18%

Livros

15,52%

Mochilas

39,62%

Patins

52,78%

Playstation

72,18%

Roupas

34,67%

Sapatos

36,17%

Teclado

38,52%

Telefone celular

39,80%

Tênis Importado

58,59%

Fonte: De León Comunicações

Bom dia e bom trabalho.

Nestlé/DPA inaugura fábrica de processamento de leite em Palmeira das Missões (RS)

A Nestlé/DPA (Dairy Partners Americas, joint venture formada com a cooperativa neozelandesa Fonterra, maior exportadora de lácteos do mundo) inaugurou, na cidade de Palmeira das Missões, a 370 km de Porto Alegre, uma nova unidade de processamento de leite com capacidade para processar até um milhão de litros por dia. O empreendimento contou com um investimento inicial de R$ 30 milhões.

A cidade de Palmeira das Missões ofereceu excelentes condições para a instalação desta fábrica por estar estrategicamente localizada em uma privilegiada bacia leiteira. A unidade irá gerar cerca de 950 empregos diretos e indiretos, além de movimentar a economia local, já que todo o leite processado será captado na região, principalmente no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Com 4 mil metros quadrados de área construída, a nova fábrica adota conceitos inovadores de coleta, manuseio e processamento da matéria-prima como, por exemplo, a desidratação do leite, realizada a frio para que não haja alteração nas características e no sabor do leite.

Dentro das diretrizes do Grupo Nestlé de respeito absoluto ao meio ambiente, a fábrica de Palmeira das Missões também incorpora modernos sistemas que visam à preservação da região. Exemplo disso é a tecnologia aplicada no tratamento de efluentes, que devolve a água ao meio ambiente por meio de quatro quilômetros de tubos, distribuídos em uma área de 150 mil metros quadrados, evitando dessa forma a erosão do solo. A unidade também não utiliza queima de óleo na geração de vapor: o método utilizado é o aquecimento de água a gás, que reduz a quase zero a emissão de gases na atmosfera.

Responsabilidade Social

Alinhada ao conceito Nestlé/DPA de responsabilidade social, que busca gerar valor aos acionistas a longo prazo sempre criando também valor para a sociedade em que está inserida, a Nestlé/DPA desenvolverá iniciativas junto aos seus fornecedores de leite locais, fomentando assistência técnica a esse grupo.

Um dos destaques do programa envolverá pequenos produtores de agricultura familiar com o objetivo de promover o desenvolvimento socioeconômico dessas famílias, estabelecendo condições para o desenvolvimento da atividade leiteira de forma sustentável e, conseqüentemente, garantindo a permanência dos produtores no campo.

Esta iniciativa terá a parceria da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), do Rio Grande do Sul, que dará apoio técnico.

A Nestlé/DPA dará todo o aporte financeiro ao programa. As famílias receberão orientação e capacitação sobre diversos temas voltados à melhoria da produção de leite, como, por exemplo, manejo de ordenha, qualidade do leite, manejo sanitário do rebanho e utilização estratégica de alimentos concentrados e volumosos para os animais.

Projeto semelhante já foi implantado pela Nestlé/DPA na cidade de Andradina, no noroeste do estado de São Paulo, que mudou a vida de 27 famílias de pequenos produtores. Antes do projeto, os produtores, sem acesso à tecnologia e à orientação para adoção das mais adequadas práticas de produção, muitas vezes tinham que se desfazer de seus animais em determinadas épocas do ano por falta de alimento suficiente. Com as orientações técnicas, hoje a situação é totalmente diferente: eles produzem leite com qualidade durante o ano inteiro.

Os resultados são animadores: no início do programa, em 2005, a produção média de leite era de 68 litros/dia e em 2007 atingiu a marca de 90 litros/dia. A média de produção por animal cresceu de 5,7 litros/dia para 8,1 litros/dia – índices que indicam um aumento médio de 42,1% na média anual de produção diária de leite por produtor. No aspecto econômico, houve uma evolução de 132,4% em aumento de renda obtido na atividade leiteira. Isso aumentou a auto-estima do grupo, que hoje encara a atividade leiteira como um negócio que pode contribuir para a sua melhoria de vida e de toda a família.

Fonte: CDN São Paulo

Bom dia e bom trabalho.

Pelo menos cite a fonte…

Um colega me escreve dizendo que encontrou seus artigos em outros blogs e sites sem citação ao autor e fonte. Como somos acadêmicos uma das obrigações é justamente citar todas as fontes corretas, para isso, temos as normas ABNT, a serem comentadas em outro post. Mas para outros…

Ainda vivemos um processo educativo, ainda mais em tempos de Internet e com muitos sites que facilitam a vida dos estudantes e blogueiros pouco preocupados com autoria, que se utilizam sòmente da técnica “copiar” e “colar” ou da técnica “contra o c e contra o v…”

Ou seja, tempos modernos, ou parte dos avanços da tecnologia.

Este desconforto de ter um trabalho utilizado de outra forma que a original, já levou um de nossos maiores inventores a uma decisão radical.

Segundo “Museu Paulista da Universidade de São Paulo”, na manhã de 23 julho de 1932, duas semanas depois de iniciada a guerra civil, Dumont presencia vôos rasantes de aeronaves do Exército e ouve bombas explodindo ao longe.

Logo depois, tomado por uma profunda crise depressiva, o inventor enforcava-se no quarto do hotel em que vivia.

Desaparecia, aos cinquenta e nove anos de idade, o inventor do avião”.

Então, vamos continuar com a informação (educação) como melhor alternativa para estas questões de direitos autorais, tão discutidas atualmente, quer por músicos, programadores de computadores, softwares, vídeo-games, a chamada indústria da pirataria, deixando para juristas e policiais as ações cabíveis aqueles que desobecem as leis brasileiras.

Para responder cito abaixo, parte da lei promulgada pela Presidência da República e publicada no Diário Oficial da União, em seu início para facilitar outras menções:

LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.

Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Título I

Disposições Preliminares

Art. 1º Esta Lei regula os direitos autorais, entendendo-se sob esta denominação os direitos de autor e os que lhes são conexos.

Art. 2º Os estrangeiros domiciliados no exterior gozarão da proteção assegurada nos acordos, convenções e tratados em vigor no Brasil.

Parágrafo único. Aplica-se o disposto nesta Lei aos nacionais ou pessoas domiciliadas em país que assegure aos brasileiros ou pessoas domiciliadas no Brasil a reciprocidade na proteção aos direitos autorais ou equivalentes.

Art. 3º Os direitos autorais reputam-se, para os efeitos legais, bens móveis.

Art. 4º Interpretam-se restritivamente os negócios jurídicos sobre os direitos autorais.

Art. 5º Para os efeitos desta Lei, considera-se:

I – publicação – o oferecimento de obra literária, artística ou científica ao conhecimento do público, com o consentimento do autor, ou de qualquer outro titular de direito de autor, por qualquer forma ou processo;

II – transmissão ou emissão – a difusão de sons ou de sons e imagens, por meio de ondas radioelétricas; sinais de satélite; fio, cabo ou outro condutor; meios óticos ou qualquer outro processo eletromagnético;

III – retransmissão – a emissão simultânea da transmissão de uma empresa por outra;

IV – distribuição – a colocação à disposição do público do original ou cópia de obras literárias, artísticas ou científicas, interpretações ou execuções fixadas e fonogramas, mediante a venda, locação ou qualquer outra forma de transferência de propriedade ou posse;

V – comunicação ao público – ato mediante o qual a obra é colocada ao alcance do público, por qualquer meio ou procedimento e que não consista na distribuição de exemplares;

VI – reprodução – a cópia de um ou vários exemplares de uma obra literária, artística ou científica ou de um fonograma, de qualquer forma tangível, incluindo qualquer armazenamento permanente ou temporário por meios eletrônicos ou qualquer outro meio de fixação que venha a ser desenvolvido;

VII – contrafação – a reprodução não autorizada;

VIII – obra:

a) em co-autoria – quando é criada em comum, por dois ou mais autores;

b) anônima – quando não se indica o nome do autor, por sua vontade ou por ser desconhecido;

c) pseudônima – quando o autor se oculta sob nome suposto;

d) inédita – a que não haja sido objeto de publicação;

e) póstuma – a que se publique após a morte do autor;

f) originária – a criação primígena;

g) derivada – a que, constituindo criação intelectual nova, resulta da transformação de obra originária;

h) coletiva – a criada por iniciativa, organização e responsabilidade de uma pessoa física ou jurídica, que a publica sob seu nome ou marca e que é constituída pela participação de diferentes autores, cujas contribuições se fundem numa criação autônoma;

i) audiovisual – a que resulta da fixação de imagens com ou sem som, que tenha a finalidade de criar, por meio de sua reprodução, a impressão de movimento, independentemente dos processos de sua captação, do suporte usado inicial ou posteriormente para fixá-lo, bem como dos meios utilizados para sua veiculação;

IX – fonograma – toda fixação de sons de uma execução ou interpretação ou de outros sons, ou de uma representação de sons que não seja uma fixação incluída em uma obra audiovisual;

X – editor – a pessoa física ou jurídica à qual se atribui o direito exclusivo de reprodução da obra e o dever de divulgá-la, nos limites previstos no contrato de edição;

XI – produtor – a pessoa física ou jurídica que toma a iniciativa e tem a responsabilidade econômica da primeira fixação do fonograma ou da obra audiovisual, qualquer que seja a natureza do suporte utilizado;

XII – radiodifusão – a transmissão sem fio, inclusive por satélites, de sons ou imagens e sons ou das representações desses, para recepção ao público e a transmissão de sinais codificados, quando os meios de decodificação sejam oferecidos ao público pelo organismo de radiodifusão ou com seu consentimento;

XIII – artistas intérpretes ou executantes – todos os atores, cantores, músicos, bailarinos ou outras pessoas que representem um papel, cantem, recitem, declamem, interpretem ou executem em qualquer forma obras literárias ou artísticas ou expressões do folclore.

Art. 6º Não serão de domínio da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios as obras por eles simplesmente subvencionadas.

Título II

Das Obras Intelectuais

Capítulo I

Das Obras Protegidas

Art. 7º São obras intelectuais protegidas as criações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro, tais como:

I – os textos de obras literárias, artísticas ou científicas;

II – as conferências, alocuções, sermões e outras obras da mesma natureza;

III – as obras dramáticas e dramático-musicais;

IV – as obras coreográficas e pantomímicas, cuja execução cênica se fixe por escrito ou por outra qualquer forma;

V – as composições musicais, tenham ou não letra;

VI – as obras audiovisuais, sonorizadas ou não, inclusive as cinematográficas;

VII – as obras fotográficas e as produzidas por qualquer processo análogo ao da fotografia;

VIII – as obras de desenho, pintura, gravura, escultura, litografia e arte cinética;

IX – as ilustrações, cartas geográficas e outras obras da mesma natureza;

X – os projetos, esboços e obras plásticas concernentes à geografia, engenharia, topografia, arquitetura, paisagismo, cenografia e ciência;

XI – as adaptações, traduções e outras transformações de obras originais, apresentadas como criação intelectual nova;

XII – os programas de computador;

XIII – as coletâneas ou compilações, antologias, enciclopédias, dicionários, bases de dados e outras obras, que, por sua seleção, organização ou disposição de seu conteúdo, constituam uma criação intelectual.

§ 1º Os programas de computador são objeto de legislação específica, observadas as disposições desta Lei que lhes sejam aplicáveis.

§ 2º A proteção concedida no inciso XIII não abarca os dados ou materiais em si mesmos e se entende sem prejuízo de quaisquer direitos autorais que subsistam a respeito dos dados ou materiais contidos nas obras.

§ 3º No domínio das ciências, a proteção recairá sobre a forma literária ou artística, não abrangendo o seu conteúdo científico ou técnico, sem prejuízo dos direitos que protegem os demais campos da propriedade imaterial.

Bem com o número da lei, encontrarás todo o texto e assim poderás também encaminhar para outros profissionais que ainda não a conheçam…

Brasília, 19 de fevereiro de 1998; 177º da Independência e 110º da República.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Francisco Weffort

Este texto não substitui o publicado no D.O.U. de 20.2.1998

Texto completo, clique aqui.

Bom dia e bom trabalho.

From the debate

Alfredo —

I just finished my first debate with John McCain.

Millions of Americans finally got a chance to see us take on the fundamental choice in this election — the change we need or more of the same.

I will provide tax cuts for the middle class, affordable health care, and a new energy economy that creates millions of jobs. John McCain wants to keep giving huge tax cuts to corporations, and he offered no solutions for the challenges Americans are facing in their daily lives.

I will end the war in Iraq responsibly, focus on defeating al Qaeda and the Taliban, and restore America’s standing in the world after eight years of disastrous policies. John McCain wants an unending commitment in Iraq and fails to recognize the resurgent threat in Afghanistan.

Let’s be clear: John McCain is offering nothing but more of the same failed Bush policies at home and abroad that he has supported more than 90% of the time in the Senate.

Americans need change now, and I need your help to get the word out about this movement.

In the coming days, it’s going to be up to you to organize locally and reach the voters that are going to decide this election.

Now’s the time to make your voice heard.

Please make a donation of $5 or more right now to support this campaign for change:

https://donate.barackobama.com/thedebate

Thank you for all that you’re doing,

Barack

Paid for by Obama for America

This email was sent to: alfredo…

Bom dia e bom trabalho.

Wal-Mart Brasil lança comércio eletrônico

O Wal-Mart Brasil inaugura no dia 1º de outubro sua loja virtual e traz para a internet o conceito de Preço Baixo Todo Dia, ampliando o acesso aos menores preços do varejo de não-alimentos para consumidores de todo o Brasil, 24 horas por dia, sete dias por semana, por meio do endereço http://www.walmart.com.br ou no televendas 3003-6000, válido para qualquer local do País.

No Brasil, clientes dos hipermercados Bompreço no Nordeste e Big no Sul do país poderão entrar no site das respectivas bandeiras, sendo automaticamente redirecionados para a homepage do comércio eletrônico do Wal-Mart.

“O mercado mundial está sendo alavancado pela Internet. Como uma empresa global nós reconhecemos isso, e o lançamento do e-commerce do Wal-Mart Brasil faz parte desse esforço”, diz Steve Dacus, sênior vice-presidente comercial e marketing do Wal-Mart Stores.

São onze categorias de produtos não-alimentos disponíveis para compra: Informática, Games, Eletrônicos, Beleza & Saúde, Telefonia, Brinquedos, Eletrodomésticos, Esporte & Lazer, Cine & Foto, Relógios e Eletroportáteis, em um total de mais de 10 mil itens disponíveis para o lançamento.

Segundo Héctor Núñez, presidente do Wal-Mart Brasil, o lançamento do comércio eletrônico é um marco na história da empresa no País. “Estamos num momento de expansão e realmente acreditamos e apostamos no Brasil. Tenho muito orgulho em anunciar mais um formato na nossa operação, um site de preços baixos, que vai atender o consumidor brasileiro 24 horas por dia”, diz.

O site tem funcionalidades exclusivas, navegação simples e otimizada para facilitar a localização do produto desejado e tornar a experiência de compra a mais agradável possível.

Uma das inovações que vão facilitar a vida do cliente são buscas refinadas dentro das categorias: por exemplo, na seção de notebooks é possível buscar produtos filtrando, simultaneamente, por diversos parâmetros como marca, processador, memória RAM, faixa de preço, etc.

Ou seja, se o consumidor tem um valor definido para a compra e tem exigência de configurações ou preferência por uma ou mais marcas, o refinamento permite que, de maneira rápida e simples, seja possível visualizar a seleção dos notebooks que atendem suas condições.

Durante a navegação o consumidor tem contato com diversos recursos de Web 2.0, mais interativa e que permite a colaboração entre os usuários.

A novidade possibilita, por exemplo, que o cliente tenha informações sobre o que outros consumidores estão vendo, comprando ou buscando no site.

Isso significa que, com o tempo, a experiência tende a ser ainda mais rica e interessante, já que cada vez que o número de usuários aumenta, aumenta também a quantidade de informações disponíveis.

Exemplos desses recursos são as “tags” (recurso muito utilizado em blogs, são palavras postadas pelos próprios usuários que viram referência de navegação e dicas para os outros).

As informações de “quem viu acabou comprando”, “quem comprou, comprou também”, e “comentários sobre o produto” também facilitam a compra.

O usuário em dúvida durante a compra também pode conferir a opinião de especialistas da área sobre o produto ou categoria escolhida, em matérias e artigos de revistas e sites, que estarão disponíveis sobre os diversos itens à venda.

Uma novidade também é a opção “Espiar”, que possibilita que alguns detalhes do produto possam ser rapidamente visualizados em uma “janela” sem que haja a necessidade de sair da página.

Outras ferramentas de interesse disponíveis na homepage são o Wal-Mart RSS, conteúdo que o cliente poderá assinar para receber informações de ofertas da área desejada, e a “buscas do dia”, que mostra as palavras mais buscadas em destaque na página inicial, em formato tag cloud (palavras ‘soltas’ em um quadro, no qual os links mais relevantes aparecem com fonte maior e em negrito.)

O site aceita todos os cartões de crédito, débito em conta e boleto bancário. O cliente tem ainda a possibilidade de dividir a compra em dois ou mais cartões de crédito no próprio site, bastando definir o valor em cada cartão.

O prazo de entrega varia de acordo com o produto e a localidade do consumidor. Para as praças de São Paulo e Rio, o site terá, ainda, a opção de entrega expressa – feita no mesmo dia da compra.

Além dos diferenciais tecnológicos, o cliente ainda terá à disposição grande variedade de itens exclusivos, vendidos apenas via internet.

“Construímos um site com várias novidades e estamos trazendo o que há de mais moderno em experiência de compra via internet para o mercado brasileiro.”, diz Carlos Fernandes, vice-presidente da divisão especial do Wal-Mart, que engloba o comércio eletrônico.

Personalização e Meu Wal-Mart

Além de todos os diferenciais mencionados acima, o site tem muitos recursos de personalização, que permitem a exibição de “prateleiras” de produto e banners de forma customizada.

O Wal-Mart também criou uma novidade exclusiva para tornar ainda mais interessante as compras: o “Meu Wal-Mart”, espaço em que o consumidor poderá criar seu perfil com foto, preferências e informações pessoais.

Ali, o consumidor tem fácil acesso aos pedidos que fez no site, informações cadastrais, listas criadas, tags, resenhas, últimos produtos navegados e muito mais.

Tem também uma agenda onde pode marcar os aniversários e datas comemorativas, pedindo ao site para enviar um alerta com alguns dias de antecedência para lembrá-lo do acontecimento e oferecer algumas possibilidades de presente para a ocasião.

Fonte: Wal-Mart Brasil

Bom dia e bom trabalho.

Indicador Serasa aponta recuo de 2,9% na inadimplência das empresas de janeiro a agosto

No acumulado de janeiro a agosto de 2008, em comparação com o mesmo período de 2007, a inadimplência das empresas diminuiu 2,9%, revela o Indicador Serasa de Inadimplência de Pessoa Jurídica.

O levantamento da Serasa, uma empresa do grupo Experian, ainda apontou queda de 8,1% na inadimplência das pessoas jurídicas na comparação entre agosto de 2008 e agosto de 2007. Já na relação mensal, agosto de 2008 com julho último, o recuo na inadimplência das empresas foi de 8%.

Os títulos protestados seguem liderando o ranking de representatividade na inadimplência das empresas, com uma participação de 42% no indicador até agosto de 2008. No ano anterior, em igual período, esta representação foi de 40,1%.

Em seguida estão os cheques devolvidos, que de janeiro a agosto deste ano representaram 38,8% da inadimplência das pessoas jurídicas. No mesmo acumulado de 2007, o peso dos cheques sem fundos na inadimplência das empresas foi de 38,3%.

Fecham o ranking as dívidas com os bancos, com participação no indicador de 19,2% de janeiro a agosto de 2008. Em 2007, até o oitavo mês do ano, as pendências com as instituições financeiras tiveram representatividade de 21,5% na inadimplência das pessoas jurídicas.

Valor médio das dívidas

Nos oito primeiros meses de 2008, as dívidas com os bancos tiveram um valor médio de R$ 4.413,98, o que representou alta de 7%, na comparação com o valor médio registrado no mesmo período de 2007.

Já os títulos protestados, até agosto de 2008, obtiveram um valor médio de R$ 1.500,30, com elevação de 1,8% ante o valor somado de janeiro a agosto do ano anterior.

Por fim, os cheques sem fundos registraram valor médio de R$ 1.283,9 de janeiro a agosto deste ano, resultando em 11,9% de aumento, quando comparado com o acumulado dos oito primeiros meses de 2007.

Análise

De acordo com os técnicos da Serasa, a inadimplência das empresas, em todas as comparações, apresentou queda devido ao bom desempenho das vendas e da produção do mercado interno, no período.

Aliado a isso, as empresas estão tomando mais crédito que os consumidores em 2008, para financiar seus investimentos em ampliação de plantas, instalações e automação. Até julho, as estatísticas do Banco Central mostram que as empresas já têm 22,4% de evolução do crédito no ano, enquanto os consumidores, 16,3%. Com o maior dinamismo da economia, as empresas conseguem gerir melhor os seus recursos, e o de terceiros.

Destaca-se que o período avaliado neste levantamento ainda não contempla o agravamento da crise financeira no mercado global, ocorrido a partir de 8 de setembro. Dessa forma, até julho, a elevação dos juros limitou o impacto nas decisões empresariais, por conta do alongamentos nos prazos de concessão de crédito, que tornou os pagamentos mensais adequados ao orçamento.

Metodologia

O Indicador Serasa de Inadimplência de Pessoa Jurídica, por analisar eventos ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas vencidas com as instituições financeiras.

A Serasa, uma empresa do grupo Experian, é a maior empresa do Brasil em pesquisas, informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de crédito e negócios e referência mundial no segmento. Participa ativamente no respaldo às decisões de crédito e de negócios tomadas em todo o Brasil, facilitando aproximadamente 4 milhões de negócios por dia, para mais de 400 mil clientes diretos ou indiretos.

Fonte: Serasa

Bom dia e bom trabalho.

Wal-Mart anuncia meta global de reduzir uso de sacolas plásticas

O presidente do Wal-Mart Brasil, Héctor Núñez, ratifica a estratégia global da companhia e informa que a filial brasileira vai reduzir o uso de sacolas plásticas em suas lojas em 50% em 5 anos.

A iniciativa vai envolver ações em todo o mundo e os países da operação internacional terão estratégias adequadas a cada realidade e cultura.

“No Brasil, temos um programa de sustentabilidade bastante estruturado, com resultados concretos em diversas iniciativas, como construções, produtos e embalagens, eficiência energética e redução de resíduos, por exemplo. A redução das sacolas faz parte do nosso desafio e estamos muito otimistas quanto a atingir essa meta no menor tempo possível”, diz Héctor Núñez, presidente do Wal-Mart Brasil.

Os esforços do Wal-Mart poderão reduzir o consumo de energia ao equivalente a aproximadamente 678.000 barris de petróleo por ano e reduzir as emissões de CO2 em 290.000 toneladas por ano – o que representa a retirada de 53.000 carros das ruas.

No Brasil, algumas ações estão em andamento e já colaboram para a redução no uso das sacolas. Uma delas é o chamado “puxa-saco”, já implantado no Sudeste e Sul e que chegará ao Nordeste até o final deste ano.

Trata-se de uma idéia simples, de fácil aplicação, que inibe o uso indiscriminado de sacolas plásticas. Uma caixa que funciona como as de lenço de papel permite que o cliente pegue apenas uma sacola de cada vez ao empacotar suas compras.

Com este dispositivo, em uso desde o início deste ano, em uma única loja, por exemplo, já observou-se redução de cerca de 15% no volume das sacolas. Para mostrar ao cliente o impacto do uso indiscriminado de sacolas plásticas, as lojas do Wal-Mart no Brasil em três estados (SP, PR e RS) colocaram um carrinho de compras com 880 sacolas plásticas dentro em exposição na entrada das lojas.

Este é o número de sacolas que cada pessoa gasta em um ano, segundo o Instituto Akatu. “A conscientização é uma das plataformas de sustentabilidade do Wal-Mart Brasil. Sabemos que como uma rede varejista, temos acesso a todos os públicos, tanto fornecedores, como consumidores e funcionários, que, no nosso caso, são mais de 70.000 pessoas. Queremos mostrar que, se cada um fizer a sua parte, fica mais fácil mudarmos hábitos”, diz Núñez.

Outra iniciativa que já mostra resultados, é o programa de produtividade implementado em todo o País chamado “um item a mais por sacola”, por meio do qual os funcionários foram orientados a colocar apenas uma mercadoria a mais em cada sacola de compra do cliente. Apenas com essa medida, na região Sudeste o número de sacolas utilizadas em cada loja foi reduzido em 20%.

O Wal-Mart Brasil também oferece sacolas retornáveis feitas em algodão cru desde maio de 2008 em São Paulo e Curitiba. Em 4 meses, mais de 150 mil sacolas foram vendidas.

Na última semana a novidade chegou na região metropolitana de Porto Alegre e, em três dias mais de 35 mil sacolas foram vendidas. Até novembro, a sacola retornável estará disponível em todas as lojas do Wal-Mart Brasil. O grande volume e a procura pelas sacolas mostra que o consumidor também está cada vez mais consciente do papel de cada um na preservação do meio ambiente.

‘Reciclagem e redução de resíduos’ é uma das três grandes áreas de atuação do programa de sustentabilidade do Wal-Mart Brasil – que inclui ainda ‘clima e energia’ e ‘produtos sustentáveis – onde a redução de sacolas está inserida.

As áreas foram divididas em 10 plataformas que detalham cada um dos temas, são capitaneadas por um executivo sênior da companhia (vice-presidentes) e propõem ações efetivas. Entre as metas globais do Wal-Mart estão reduzir os resíduos sólidos em 25% em três anos, ser abastecido 100% por energia renovável em ter lojas novas 30% mais eficientes.

Em 2005 o Wal-Mart assumiu o compromisso de adotar a sustentabilidade como um dos pilares do seu negócio, seguindo conceitos econômicos, sociais e ambientais.

Para atingir seus objetivos e metas, a empresa está investindo, entre 2005 e 2010, US$ 500 milhões em infra-estrutura e aprimoramento de sistemas de gestão em busca de resultados.

Fonte: Wal-Mart Brasil

Bom dia e bom trabalho.