Riachuelo e seu modelo de negócios

Seguindo a versatilidade em oferecer peças para diversos segmentos, a Riachuelo apresenta uma coleção especial de moda íntima.

Além da qualidade e design moderno, os itens idealizados pela rede de lojas, apresentam ótimos preços que oferecem a possibilidade das mulheres estarem em voga também em seu íntimo.

Modelo de negócios inovador

A Riachuelo é a única das grandes redes de varejo de moda que pesquisa, cria e produz a maior parte dos seus produtos. A empresa possui a maior fábrica no país em Natal-RN, o que a permite oferecer uma excelente relação preço e qualidade para seus clientes. Com previsão de inauguração de mais 07 pontos-de-venda até o final do ano, a empresa possui 13,5 milhões de associados no cartão Riachuelo e 13 mil funcionários. Hoje, já são 96 lojas próprias espalhadas pelo Brasil.

Fonte: Imagem Press

Bom dia e bom trabalho.

Advertisements

Em discussão regras para cosméticos destinados à exportação

Está aberta a sugestões e críticas, até 17/9, a proposta de regulamento (PDF) que vai estabelecer regras para os produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes fabricados no Brasil, destinados exclusivamente à exportação. Uma das principais propostas é a dispensa de registro destes produtos, que teriam de atender às exigências sanitárias dos países de destino.

De acordo com o texto, as empresas continuam, entretanto, obrigadas a obter Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE) para as atividades de fabricação e exportação, além de alvará ou licença sanitária atualizada. As empresas também devem manter, em seus bancos de dados, as informações referentes a estes produtos para eventuais inspeções pelas autoridades sanitárias.

Fonte: Ascom Anvisa

Bom dia e bom trabalho.

Petrobras é eleita uma das marcas de confiança do consumidor

A Petrobras é uma das empresas de destaque na 7ª edição da pesquisa Marcas de Confiança, realizada pela revista Seleções do Reader’s Digest em parceria com o Ibope Solution.

A pesquisa é realizada para mensurar, por meio da opinião de seus leitores, quais são as marcas, produtos, serviços e profissionais que mais agradam os consumidores.

 Na categoria Responsabilidade Social, a Petrobras foi eleita com 14% dos votos, ao lado da Natura, com 13%. Os assinantes votaram espontaneamente na marca preferida para este quesito e o resultado aponta as instituições de maior confiança dos leitores.

A pesquisa Marcas de Confiança enfocou 45 categorias de produtos e serviços, além das categorias especiais. Realizada pela primeira vez através da Internet, com total monitoramento do Ibope, a análise levou em consideração uma amostra de 1.500 questionários de um universo de mais de 1,5 milhão de leitores.

A pesquisa Marcas de Confiança 2008 levou em consideração uma amostra de 1,5 mil questionários de um universo de mais de 1,5 milhões de leitores. Foram escolhidas pelos assinantes as marcas que mais inspiram confiança em 45 categorias, além das categorias especiais, que envolvem instituições, profissões e personalidades.

A entrega do prêmio Marcas de Confiança 2008 acontece em 2 de setembro, na Casa Petra, em São Paulo, às 20h. O evento será conduzido pela atriz Fernanda Vasconcelos e por Sérgio Charlab, editor da revista Seleções, contando com a presença dos vencedores, presidentes das empresas, publicitários, colunistas da revista, imprensa e outros convidados. A festa será embalada por um show dos Meninos do Morumbi e terá transmissão on-line, pelo www.selecoes.com.br.

Fonte – Petrobras

Bom dia e bom trabalho.

 

Somente três ligações telefônicas…

“Posso encontrar qualquer coisa com duas ou três ligações.” Gary Roush tem dito isso por aproximadamente duas décadas. Para provar seu ponto de vista de que qualquer um que procure – realmente procure – por informação vital pode encontrá-la, em qualquer lugar do mundo, ele conta algo que ocorreu há poucos anos…

Gary Roush, antigamente da Corning, gastou quase uma década ensinando analistas, gestores de produto, pessoal de marketing e engenheiros da Corning este mais elementar fato da inteligência: você está somente a poucos passos de qualquer resposta que você procure.

Roush aprendeu os “segredos” de Schott Glas e outros competidores por estar apto a localizar exatamente os indivíduos corretos com apenas três ligações telefônicas…”

Fonte: Leonard Fuld. Inteligência Competitiva. Elsevier, 2007.

Bom dia e bom trabalho.

Como entender a concorrência: a perspectiva do Presidente

Em Inteligência Competitiva na Prática, John Prescott e Stephen Miller relatam uma mesa-redonda ocorrida anos atrás com presidentes de empresas, na cidade de Nova York, iniciativa da SCIP – Society of Competitive Intelligence Professionals e Rutgers University.

Participaram os presidentes da Duracell International, Kellog, NutraSwet, Johnson & Johnson Medical, Best Foods, Dow Jones, IBM North America e Pacific Enterprises, tendo como moderador Max Downham e as participações de Ben Gilad, Rutgers University e Jan Herring, The Futures Group.

Esse histórico encontro, reuniu líderes notáveis, para discutir a evolução do papel da inteligência competitiva, sob a ótica do que era praticado em suas empresas. O encontro foi organizado pelo Professor Ben Gilad e produzido por Jean-Marie Bonthous.

Entre as opiniões:

“Muitas das empresas americanas não tem funções de inteligência competitiva plenas, contudo a maior parte dos líderes das empresas americanas percebe que o sucesso depende de se olhar para a frente e andar mais rápido do que a concorrência. De modo que o resultado é um paradoxo gerencial.”

“A grande recompensa da inteligência competitiva é que ela aponta nossas fraquezas internas, quando encontramos as forças de nossos concorrentes. As empresas que não fizerem isso fracassarão.”

“…é necessário criar um ambiente em que o responsável pela inteligência competitiva possa compartilhar informações competitivas com diferentes gerentes, em vários níveis da organização, de forma que eles possam usar a informação para resolver problemas ou alcançar um objetivo.”

Fonte: John E. Prescott e Stephen H. Miller. Inteligência Competitiva na Prática. Campus, 2002.

Bom dia e bom trabalho.

E no ambiente de negócios globalizado: Hari Puttar x Harry Potter

Segundo o website Globo.com, os estúdios Warner, responsáveis pelo lançamento da versão cinematográfica da série “Harry Potter”, abriram um processo contra os produtores indianos de um filme intitulado “Hari Puttar – A comedy of terrors”.

Eles alegam que a produção tem um título demasiadamente parecido com o da franquia multimilionária.

“Hari Puttar” ainda não estreou nos cinemas indianos – o filme está marcado para entrar em cartaz no dia 12 de setembro.

Hari é um nome bastante popular na Índia e Puttar significa “filho” no idioma punjabi (um dos mais falados no país).

Segundo o site Hollywood Reporter, Munish Purii, da produtora Mirchi Movies, disse que o nome do filme foi registrado em 2005 e lamentou o processo judicial aberto pela Warner.

“Em minha opinião, nosso título não tem nenhuma semelhança com ‘Harry Potter'”.

Fonte: Globo.com, clique aqui.

Foto: reprodução.

Bom dia e bom trabalho.