Ponto Frio tem lucro líquido de R$ 89,3 milhões em 2007

A Globex Utilidades S.A., que opera a marca Ponto Frio, uma das maiores redes brasileiras de lojas de eletrodomésticos e produtos para o lar, teve lucro líquido de R$ 89,3 milhões em 2007, com crescimento de 12,3% em relação ao ano anterior, que havia ficado em R$ 79,5 milhões.

Resultado positivo também foi registrado no quarto trimestre de 2007, com lucro líquido de R$ 77,5 milhões, 53,4% superior aos R$ 50,5 milhões alcançados no quarto trimestre de 2006.

O presidente da companhia, Manoel Amorim, afirma que esse desempenho é fruto do processo de reestruturação, iniciado no ano passado. “Os resultados comprovam o empenho de todos os nossos colaboradores para o sucesso do plano de reestruturação. Esse processo, com certeza, vai nos levar a mais conquistas”, declara Amorim.

O processo de reestruturação foi lançado, em 2007, com o objetivo de preparar a empresa para o crescimento acelerado e gerar maior rentabilidade. A Diretoria Executiva foi reduzida de nove para cinco posições, a estrutura organizacional foi redefinida com a contratação de novos executivos e abertura de oportunidades para gestores que já faziam parte do quadro funcional da empresa.

Ainda como parte do processo de reestruturação, os estoques foram reduzidos em R$ 92,9 milhões – de R$ 460,2 milhões, em dezembro de 2006, para R$ 367,3 milhões, em dezembro de 2007. Assim, foi possível melhorar a eficiência da cadeia de suprimentos de mercadorias vendidas e simplificar o sortimento, para focar em categorias de maior crescimento e rentabilidade, mais consistentes com a capacidade de entrega.

A receita bruta do quarto trimestre cresceu 9,1%, atingindo R$ 1,342 bilhão ante R$ 1,230 bilhão registrado no mesmo período do ano anterior. A receita bruta consolidada de 2007 alcançou R$ 4,518 bilhões, 7,2% acima dos R$ 4,194 bilhões de 2006. A empresa retomou o programa de abertura de lojas, reforma e reposicionamento das já existentes.

O Ponto Frio encerrou o ano de 2007 com 427 lojas, correspondendo a uma área de 318,1 mil m². Somente no quarto trimestre foram inauguradas 42 lojas, sendo 33 no formato Ponto Frio Digital – com áreas de vendas entre 70 metros quadrados e 300 metros quadrados e foco em produtos de tecnologia, tais como cine-foto, áudio, vídeo, informática e aparelhos celulares.

Outras nove lojas no formato padrão foram abertas e oito desativadas, no período. No total do ano de 2007, foram abertas 59 novas lojas, sendo 44 no formato Ponto Frio Digital, todas inauguradas na Bahia, porta de entrada da empresa no Nordeste; 15 no padrão tradicional e dez desativadas.

A padronização Ponto Frio Digital permite maior capilaridade e produtividade de vendas, com mix em produtos de grande giro e margem. Em 2007, sete lojas foram ampliadas (adição de 1,8 mil metros quadrados) e reformadas, além da reforma efetuada em 41 lojas.

O quarto trimestre registrou um crescimento anual da área de vendas de 4,3%, de 305 mil m² no quarto trimestre de 2006 para 318,1 mil metros quadrados (5,9 mil metros quadrados no formato Ponto Frio Digital). Em 2007, houve um aumento de 4,7% nas vendas, comparado ao mesmo período do ano anterior.

A Companhia concluiu uma importante parte na otimização de seu balanço patrimonial, com venda de quatro Centros de Distribuição próprios em dezembro de 2007, por R$ 108,9 milhões.

O encadeamento de ações resultou em saldo de caixa líquido de R$ 476,2 milhões ao final de 2007, 9,9% acima da posição verificada em dezembro de 2006. O EBITDA (lucro antes dos juros, impostos e depreciação) atingiu R$ 102,9 milhões no quarto trimestre de 2007, alta de 31,6% sobre os R$ 78,2 milhões registrados em igual período de 2006.

No ano de 2007, o EBITDA alcançou R$132,8 milhões (Margem EBITDA de 3,8%), ou uma queda de 33,2% sobre os R$198,9 milhões registrados em 2006 (Margem EBITDA de 6,2%). O cartão Ponto Frio Unicard, administrado pelo Banco Investcred – joint venture entre o Ponto Frio e o Unibanco -, acumulou 591 mil clientes nos últimos 12 meses, atingindo uma base de 790 mil clientes em dezembro de 2007.

Desde 1996, a Globex é uma empresa de capital aberto com ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Passou a ser negociada, a partir de fevereiro de 2008, unicamente pelo ticker GLOB3. A empresa concluiu com sucesso o processo de conversão das ações preferenciais em ordinárias, sem dissidência de acionistas.

Sobre a Globex Utilidades

Integrante do Grupo Globex Utilidades S.A, o Ponto Frio é hoje uma das maiores redes na venda de eletrodomésticos no Brasil, consolidada ao longo de 62 anos de atividades. Atualmente, são 437 pontos de venda em 11 estados. Fundada por Alfredo Monteverde, em 12 de junho de 1946, no Rio de Janeiro, a rede foi pioneira no mercado de eletroeletrônicos no país com operações no atacado, na Internet e em central de televendas. Foi, também, a primeira rede varejista a oferecer amplamente produtos e serviços financeiros no Brasil.

Fonte: Empresa

Bom dia e bom trabalho.

Advertisements

Folha de S.Paulo – Empregos: Concorrência incentiva inteligência de mercado

jorgebitencourt.jpgEm reportagem de Maria Carolina Nomura, o caderno EMPREGOS da Folha de S.Paulo, apresenta neste domingo, 30 de março de 2008, uma matéria com o título “Concorrência incentiva inteligência de mercado“.

Na primeira parte da matéria o destaque é “Profissional deve antecipar tendências e lançamentos de firmas rivais”.

“O crescimento da economia brasileira, além de propiciar um cenário de maior concorrência entre as empresas, incentiva a propagação de uma atividade ainda nova no país: a de inteligência de mercado.
Entre as atribuições do profissional, que, em geral, é formado em marketing ou administração, está antecipar o movimento dos concorrentes para diminuir os riscos de prejuízo.
Para isso, ele analisa os elementos que mostram os planos da concorrência. A compra de um terreno, por exemplo, pode significar que a companhia irá construir uma nova fábrica.
“É possível prever o que outra empresa vai fazer até pelo tipo de profissional que ela contrata”, exemplifica Jorge Bitencourt Castilho, 37, gerente de inteligência da Bunge (alimentos e agronegócios).
Mas, para chegar a essas conclusões, o profissional deve ser visionário, de acordo com Alfredo Passos, professor de inteligência competitiva da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing). “Não é só pegar informações que estão por aí e colocá-las em uma planilha. É preciso mostrar como esse cenário afeta a empresa.”

Em seguida o destaque vem com o título “Atuantes carecem de qualificação” com depoimentos de Gustavo Parise, da área de varejo da Michael Page, empresa de recolocação profissional, Alfredo Passos, da ESPM, Fernando de Almeida, FIA e Robson Alberone falando sobre a criação do Ibramerc (Instituto Brasileiro de Inteligência de Mercado).

Ainda na matéria tem destaque “Área cuida também da segurança da informação“; “Agência foca assuntos de Estado” e ainda “Divulgação de informações confidenciais é concorrência desleal”.

Fonte: Folha de S.Paulo – Empregos, domingo, 30 de março de 2008. Foto: Rafael Hupsel/Folha Imagem

Em destaque nosso amigo Jorge Bitencourt Castilho, da Bunge, que na verdade já fez mestrado na área.

Para ler matéria completa clique aqui.

Volkswagen chega a 300 mil veículos em Resende com a maior venda de sua história

vwcam3.jpgA Volkswagen Caminhões e Ônibus chega a 300 mil veículos produzidos na fábrica de Resende (RJ) graças a uma venda histórica. Este mês, a montadora inicia a entrega de 1.150 caminhões Constellation 17.250 Tractor, 19.320 Titan Tractor, Worker 9.150E e 26.260E ao Grupo Bertin – um dos maiores negócios do segmento de veículos comerciais já fechados no País. Holding que atua nos segmentos de agroindústria, infra-estrutura e energia renovável, o Grupo Bertin passa a ser um dos maiores frotistas de caminhões Volkswagen do mundo.

Os veículos também são os primeiros da marca autorizados a rodar com mistura biodiesel a até 5%, mantendo as características originais de fábrica. “O Bertin é nosso parceiro no desenvolvimento de tecnologias a favor do meio ambiente. Além da aquisição dos caminhões capazes de rodar com até 5% de biodiesel, o grupo testa desde 2006 um lote de veículos Volkswagen que consome combustível B20, ou seja, com 20% de biocombustível adicionado ao óleo diesel comum”, diz Roberto Cortes, presidente da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

A escolha do Grupo Bertin pelos produtos Volkswagen é resultado da satisfação do cliente desde a primeira compra há sete anos. Todas foram realizadas através da Marka Veículos Ltda, que hoje detém quatro revendas da marca – Jaú, Araraquara, Bauru e Bebedouro, todas no interior de São Paulo.

Liderança consolidada

A Volkswagen Caminhões e Ônibus se mantém na liderança brasileira em vendas de caminhões acima de cinco toneladas de peso bruto total, título conquistado por cinco anos consecutivos. O sucesso dos modelos também contribuiu para que a Volkswagen se tornasse a maior fabricante nacional de caminhões, com 39.401 unidades produzidas em 2007 (incluídos os modelos SKD e CKD, enviados em kits ou desmontados ao exterior), e uma das maiores exportadoras brasileiras de veículos comerciais.

Inaugurada em 1º de novembro de 1996, a fábrica de Resende hoje emprega cerca de 4 mil pessoas, e funciona com um inédito processo produtivo conhecido como Consórcio Modular. Sete empresas parceiras montam produtos Volkswagen na linha de produção. Cabe à Volkswagen Caminhões e Ônibus o desenvolvimento dos produtos, o controle de qualidade e a assistência técnica pós-vendas. Esse arranjo permite que a marca se concentre nas exigências do consumidor final, buscando atender cada cliente sob medida.

Hoje, a Volkswagen Caminhões e Ônibus oferece ao mercado brasileiro 29 modelos de caminhões de cinco a 57 toneladas de peso bruto total, e oito chassis de ônibus urbanos e rodoviários. Todos os modelos foram criados no Brasil, onde o Grupo Volkswagen tem seu Centro Mundial de Desenvolvimento de Caminhões e Ônibus. Engenheiros e técnicos buscam soluções de transporte para o Brasil e para mais 29 países de dois continentes.

Fonte: Empresa

Bom dia e bom trabalho.

COOP lança campanha de ofertas de produtos de fabricação própria

Até o dia 13 de abril, a Coop – Cooperativa de Consumo estará com a campanha de ofertas de produtos de fabricação própria Delícias da Coop em todas as suas 25 unidades de distribuição.

Esta campanha visa apresentar aos cooperados, por meio de promoções e demonstrações, os produtos que compõem a linha de fabricação própria, produzida pela Central de Panificação, instalada na unidade em Ribeirão Pires, numa área construída de 1.600 metros quadrados.

Atualmente são 150 produtos, distribuídos entre pães especiais, panetones, pão francês, doçaria, salgados e pizza. Segundo Daniela C. Batista Marchiolli, assistente administrativa da Coop, a linha Delícias da Coop tem a previsão de chegar a 3% do faturamento (fornecimento) bruto até dezembro deste ano.

Um dos produtos que deverá ter grande aceitação durante a campanha será o bolo enfeitado e confeitado, que possui preço entre 20 e 25% menor que os da concorrência. “Recentemente, ampliou-se a variedade de sabores e coberturas e novos lançamentos foram introduzidos como o bolo trufado de avelã; chocomenta e torta mesclada, entre outros. As novas formulações proporcionaram maior valorização do sabor desses produtos“, explica Daniela.

Mensalmente são produzidos pela Central de Panificação da Coop e enviados para a rede 20 mil quilos de bolos confeitados e 5 milhões de pão francês de 50 gramas cada. A cooperativa conta com 65 fornecedores ativos e toda a linha de produtos Delícias da Coop gera um consumo mensal de 227,6 toneladas de farinha de trigo.

A pizza semipronta também está com novidades. Após pesquisa entre os cooperados, a Coop passou a oferecer dois tamanhos diferentes de pizza – 30 cm e 33 cm de diâmetro a fim de atender melhor a necessidade dos consumidores. São seis sabores e o grande diferencial, além de preço e qualidade, é que o produto é fornecido por quilo. Mensalmente, são fornecidas mais de 49 mil peças de pizza semipronta em toda a rede e outras 15 mil unidades de disco para pizza.

Sobre a Coop

Criada em 1954 por 292 funcionários da Rhodia, a Coop comemora neste ano 54 anos de fundação e possui atualmente mais de 1,4 milhão cooperados. Considerada a maior cooperativa de consumo da América Latina, a Coop possui 25 unidades de distribuição em operação sendo 24 no modelo tradicional: 17 no ABC Paulista, duas em São José dos Campos, duas em Sorocaba, uma em Tatuí, uma em Piracicaba e uma em São Vicente, e uma Zapt Coop em Santo André, no formato loja de proximidade.

A Coop ocupa o 11º lugar no ranking da ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) e fechou o ano de 2007 com fornecimento (faturamento) bruto de R$ 1.102,9 bilhão, representando em valores nominais uma variação positiva de 6,14% em relação a 2006, que teve fornecimento bruto de R$ 1.039,1 bilhão.

Fonte: Empresa

Bom dia e bom trabalho.

Peugeot lança nova campanha e apresenta ofertas para a linha 206

Com o slogan “Eu e Peugeot. Peugeot e Eu”, campanha reafirma o compromisso da Marca em disponibilizar produtos que atendam às expectativas do consumidor, além de oferecer financiamento para a linha 206 HB e SW com três anos de garantia e seguro total.

A Peugeot do Brasil dá início a uma nova etapa em sua estratégia de comunicação com o lançamento da campanha “Eu e Peugeot. Peugeot e Eu”. Essa nova linha de comunicação praticada pela Peugeot propõe uma série de ações correlacionadas no decorrer do ano, que destacam ao mesmo tempo ofertas de varejo e a identidade nacional da Marca.

Nesta primeira fase da campanha, que pretende tornar a Marca ainda mais próxima do consumidor, a Peugeot oferece condições especiais para a compra de veículos da linha 206, nas versões Hatch e SW, em toda a rede de concessionárias.

Entre as ofertas criadas em parceria com o Banco Peugeot, a Marca oferece ao consumidor a possibilidade de adquirir o Peugeot 206 com três anos de garantia e três anos de seguro total, além de um Plano de Proteção Financeira durante o período de financiamento. Tal pacote promocional pode ser adquirido a partir de prestações no valor de R$499,00, no caso do modelo 206 1.4 Sensation.

Ainda para a linha 206, a Peugeot disponibiliza o modelo com câmbio automático gratuito, oferta que pode ser somada ao primeiro pacote promocional. Tais promoções são válidas até 31/03.

“Eu e Peugeot. Peugeot e Eu”: uma campanha com mensagens claras e diretas

A comunicação da campanha “Eu e Peugeot. Peugeot e Eu” conta com peças fortes, objetivas e de grande impacto, aplicadas em diferentes mídias. Para a TV, a Peugeot apresenta o filme publicitário “Fábrica”, de 30 segundos, que exibe a concepção de um Peugeot 206 na linha de montagem do Centro de Produção de Porto Real (RJ), acompanhada por um consumidor que se identifica com o carro por ser totalmente brasileiro, como ele. O filme será veiculado em emissoras de TV aberta (até 29/03) e por assinatura (até 31/03).

A campanha será sustentada também com anúncios de jornal, além do spot de rádio “Eu quero um carro”, de 30 segundos, veiculado nas principais rádios de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. A mídia on-line estará representada nos principais sites e portais, com peças criativas e diferenciadas. Além disso, foi criado um “HotSite” exclusivo com todos os detalhes da campanha, que pode ser acessado clicando aqui.

Fonte: Peugeot

Bom dia e bom trabalho.

Peugeot conquista os melhores índices em novo estudo do Cesvi Brasil

peugeot.jpgAlém de qualidades como conforto, dirigibilidade e segurança, os veículos Peugeot acabam de ser apontados como os que oferecem menos riscos de sofrerem danos provocados por alagamentos. Esse é o resultado do mais novo estudo divulgado pelo CESVI BRASIL (Centro de Experimentação e Segurança Viária), intitulado Índice de Danos de Enchentes.

Na categoria Hatch Compacto, o Peugeot 206 1.6 Flex 16V, com quatro estrelas, obteve a nota mais alta entre seus concorrentes, com o 206 1.4 Flex 8V em terceiro lugar. No segmento Hatch Médio, os modelos da Marca ficaram com os dois primeiros lugares: o 307 HB 2.0 obteve a melhor posição, seguido do modelo equipado pelo propulsor 1.6 Flex 16V.

Para elaborar essa classificação, o centro de pesquisa automotiva analisou os modelos quanto ao risco de sofrerem calço hidráulico e o risco de comprometerem seu funcionamento por danos em componentes fundamentais, estudando itens como sistema de admissão, sistema de escape, alternador, centrais elétricas e embreagem, entre outros.

Na categoria de SW Compacta, mais uma dobradinha da Peugeot. O veículo melhor colocado foi o 206 SW 1.6 Flex 16V, seguido pelo 206 SW 1.4 Flex 8V. No segmento SW, mais um veículo da Marca com a classificação mais alta: o 307 SW 2.0 16V.

Outro segmento em que a Peugeot se destacou foi em Sedan Médio, com os dois primeiros lugares ocupados, respectivamente, pelo 307 SD 2.0 16V e o pelo 307 SD 1.6 Flex 16V. Finalmente, na categoria denominada Multivan, a Marca teve a Partner 1.6 16V ficando em segundo lugar como o veículo que menos oferece risco à sua mobilidade e à possibilidade de sofrer danos provocados por enchentes.

Detalhes a respeito do estudo Índice de Danos de Enchentes podem ser encontrados no material eletrônico produzido pelo CESVI BRASIL, clicando aqui

Fonte: Empresa

Bom dia e bom trabalho.

Serasa aponta alta de 1,6% no volume de cheques sem fundos no 1º. Bimestre de 2008

O volume de cheques devolvidos a cada mil compensados, em todo o território nacional, aumentou no primeiro bimestre de 2008, em relação ao mesmo período de 2007. No acumulado de janeiro e fevereiro deste ano foram devolvidos 19,3 cheques, por falta de fundos, a cada mil compensados, enquanto no início de 2007 foram 19,0 cheques devolvidos por mil, o que significou um crescimento de 1,6% no período.

De acordo com o Indicador Serasa de Cheques sem Fundos, foram devolvidos, nos dois primeiros meses deste ano, 4,66 milhões de cheques em todo o país, dentre 242,35 milhões de cheques compensados. No acumulado de janeiro e fevereiro de 2007, foram 5,01 milhões de devoluções de um total de 263,05 milhões de cheques compensados.

O aumento nos cheques sem fundos também foi registrado em fevereiro deste ano. Na comparação com fevereiro de 2007, houve um crescimento de 1% no volume de cheques devolvidos a cada mil compensados, sendo que no segundo mês de 2008, foram devolvidos, por insuficiência de fundos, 19,5 cheques por mil, e em fevereiro do ano passado, 19,3.

Houve um total de 113,96 milhões de cheques compensados no segundo mês deste ano, dos quais 2,22 milhões devolvidos duas vezes por insuficiência de fundos, no país. Os cheques compensados em fevereiro de 2007 totalizaram 121,09 milhões, e os devolvidos por falta de fundos foram 2,34 milhões.

Em relação a janeiro de 2008 (mês anterior), quando foram devolvidos 19,0 cheques por falta de fundos a cada mil compensados, houve um acréscimo de 2,6% nas devoluções. Em janeiro foram compensados 128,38 milhões de cheques e devolvidos 2,44 milhões.

Acúmulo de dívidas gerou aumentou na inadimplência com cheques Segundo os técnicos da Serasa, a inadimplência com cheques subiu devido ao maior endividamento do consumidor, que vem parcelando suas compras com pré-datados, em prazos mais longos, desde o Dia das Crianças de 2007. Em 2008, o acúmulo de dívidas e as pressões das despesas sazonais de início de ano (IPVA, IPTU etc) impactaram o orçamento do consumidor acima do verificado no mesmo período do ano passado.

Por outro lado, a expansão da concessão de crédito via cheque pré-datado tem sido menos criteriosa, por parte de empresas do varejo não organizadas financeiramente, o que também contribuiu para o aumento da inadimplência.

Os indicadores de cheques sem fundos serão influenciados favoravelmente com a prática do cadastro positivo sobre o crédito. Essa nova metodologia possibilitará o estabelecimento de políticas mais adequadas aos diversos tomadores de crédito, o que significará maior segurança nessas transações e, portanto, redução de custos e ampliação de recursos e abrangência, tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica.

A Serasa, uma empresa do grupo Experian, é a maior empresa do Brasil em pesquisas, informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de crédito e negócios e referência mundial no segmento. Participa ativamente no respaldo às decisões de crédito e de negócios tomadas em todo o Brasil, facilitando aproximadamente 4 milhões de negócios por dia, para mais de 400 mil clientes diretos ou indiretos.

Fonte: Empresa

Bom dia e bom trabalho.

Telefonia celular tem melhor fevereiro desde 1999

Fevereiro somou 1.264.902 novas habilitações na telefonia celular, número 169,38% maior que as 469.568 adesões registradas no mesmo mês de 2007 e 39% maior que o de 2004, que foi o melhor mês de fevereiro dos últimos oito anos, com 910.349 habilitações. Em fevereiro de 1999, houve 196.090 adesões. Com esse resultado, o Brasil chegou a 124.122.479 milhões de assinantes no Serviço Móvel Pessoal (SMP), o que representa crescimento de 1,03% em relação a janeiro. Do total de acessos, 100.379.084 (80,87%) são pré-pagos e 23.743.395 (19,13%), pós-pagos, proporção que se mantém praticamente inalterada desde 2004.

Nos últimos 12 meses, o Brasil ganhou 22.935.770 novos assinantes, o que representa um crescimento de 22,67%. A consolidação dos números mensais da telefonia móvel está disponível no portal da Agência Nacional de Telecomunicações, na visão Sala de Imprensa, canal “Anatel em dados”, item “Telefonia móvel”.

Teledensidade

A tendência de crescimento da teledensidade do serviço móvel no País se mantém. Com crescimento de 0,9%, o Brasil alcançou o índice de 65,09. Comparado a fevereiro de 2007, quando o índice era de 53,79, o crescimento foi de 21% em 12 meses. A teledensidade é o indicador utilizado internacionalmente para demonstrar o número de telefones em serviço em cada grupo de 100 habitantes.

O Distrito Federal continua liderando a teledensidade móvel brasileira, com índice de 119,47 – ou seja, 1,19 telefone para cada habitante. Comparado com o mês anterior, o índice apresentou, em fevereiro, crescimento de 0,3% (era 119,15). O Rio de Janeiro, segundo colocado no ranking, cresceu 0,5% (subiu de 80,54 para 80,98). Em terceiro no indicador, o Mato Grosso do Sul tem índice de 79,26 e apresentou crescimento de 0,7% (era de 78,69).

O Pará foi a novidade com crescimento percentual de 2,3% da teledensidade em fevereiro. O avanço foi menor apenas que o do Maranhão, que manteve a liderança com taxa de 2,44%. Em terceiro, Sergipe apresentou crescimento de 2,17%. Em 12 meses, Roraima, Sergipe e Acre ficaram no topo do ranking com taxas de crescimento de 39,18%, 35,95% e 33,45%, respectivamente.

A região Nordeste continua liderando o crescimento da densidade em 12 meses, apesar de a região Norte ter obtido avanço percentual maior em fevereiro em relação a janeiro deste ano (1,6%, frente a 1,4% da região Nordeste). Nesse período, a teledensidade cresceu 27,49% no Nordeste, alcançando o índice de 51,06 (era de 40,05 em fevereiro de 2007). O Norte teve a segunda maior taxa de crescimento no período (26,88%), mas permanece com a menor densidade entre as regiões brasileiras, agora com índice de 48,24 (era de 38,02 em fevereiro de 2007).

Mercado

A prestadora Vivo permanece na liderança do mercado brasileiro de telefonia móvel, com 27,32% de participação – era 27,44% em janeiro. A TIM, com 26,06% de participação (era 26,10%) mantém a segunda colocação. A Claro, com 24,80% (era 24,84%), continua no terceiro lugar.

A Oi, na quarta colocação, registrou 13,54% (era 13,32%) de participação de mercado. A Telemig Celular/Amazônia Celular, em quinto, apresentou redução de 4,34% para 4,31%, enquanto a 14BrasilTelecom GSM aumentou a participação de 3,60% para 3,61%. A CTBC Telecom Celular (0,30%) e a Sercomtel Celular (0,06%) mantiveram a mesma participação registrada nos três meses anteriores.

A tecnologia GSM continua em expansão e na liderança do mercado, com 100.213.276 acessos (80,74%). A tecnologia CDMA tem 19.394.403 acessos (15,63%), e a TDMA, 4.501.713 (3,63%). A tecnologia analógica AMPS possui apenas 13.087 acessos (0,01%).

Fonte: Anatel

Bom dia e bom trabalho.

Dia mundial da água tem programação especial no Canal Futura

O futuro da água no planeta é um tema que preocupa a comunidade científica. Como agir perante a previsão de severa escassez deste recurso natural tão essencial à vida na terra? Que iniciativas são capazes de mudar os hábitos de consumo no Brasil e no mundo? Na semana em que se comemora o Dia Mundial da Água, programas abordam o tema com seriedade.

No Dia Mundial da Água, sábado, dia 22, o Globo Ecologia fala de bacias hidrográficas e aquecimento global. No primeiro programa, às 17h, uma viagem ao interior de São Paulo revela a iniciativa de criação do banco de águas, uma novidade em termos de modelo de gestão de recursos hídricos no país.

Logo em seguida, às 17h30, o programa embarca nas águas do Rio São Francisco, percorrendo diversos pontos de seus 645 mil quilômetros de extensão e alguns de seus principais afluentes. No episódio, conheça um programa de bartimetria – estudo da profundidade de águas, feito para detectar bancos de areia que dificultam a navegação do Velho Chico.

Às 22h30, o Globo Ecologia fala de aquecimento global. O programa ouve o glaciólogo Jefferson Simões, que mostra como o derretimento das geleiras é uma ameaça à oferta de água doce no mundo. O episódio traz as opiniões do superintendente de conservação do WWF-Brasil, Carlos Scaramuzza, e do diretor da Agência Nacional de Águas, Oscar Cordeiro Netto, sobre as medidas que podem garantir água para as futuras gerações.

Notícias do universo gelado

Por fim, confira a reprise do programa Aberto ao Público – Christmas Lectures, com o tema O Continente Frágil, às 18h. Criadas pelo renomado cientista inglês Michael Faraday, as Christmas Lectures – palestras que usam recursos visuais e de teatro para falar de ciência, acontecem desde 1825 na Inglaterra e são uma forma de introduzir temas científicos complexos a um público jovem de uma maneira divertida e informativa.

Nesta apresentação, confira a palestra dada pelo especialista em Antártica, Dr. Lloyd Peck do British Antarctic Survey, realizada em São Paulo em 2007. Ele fala sobre o impacto do aquecimento global sobre a Antártica e a ecologia do continente.

Dia Mundial da Água

Sábado, dia 22 de março

Globo Ecologia – Bacias Hidrográficas: 17h

Globo Ecologia – Rio São Francisco: 17h30

Aberto ao Público – O Continente Frágil: 18h

Globo Ecologia – Aquecimento Global: 22h30

Sobre o Canal Futura

O Canal Futura é financiado integralmente pela iniciativa privada. Ao todo, 33 milhões de pessoas assistem regularmente os programas do Futura. A programação está disponível em rede aberta, através da banda C, em todo o Brasil. Basta sintonizar a antena parabólica na polarização vertical 20. O Canal Futura também é transmitido por meio de cabo (NET – 32) e mini-parabólicas (SKY – 37; e Directv – 165). Em parcerias com TVs universitárias, o Futura é transmitido também em UHF, VHF e TV a cabo, em regiões dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraíba.

Fonte: Empresa

Bom dia e bom trabalho.

Coca-Cola Brasil reduz o consumo de água em 5%

A Coca-Cola Brasil tem como prioridade o uso eficiente e racional da água, sua principal matéria-prima. Alinhado à tendência mundial na busca pela economia de recursos naturais por indivíduos e instituições, o Sistema

Coca-Cola Brasil abraçou a nova política mundial da empresa, baseada nos 3 “Rs”: Reduzir a água usada na produção de bebidas; Reciclar essa água; e Reabastecer as comunidades e a natureza.

Além disso, deu prosseguimento ao “Programa Água Limpa”, adotado pelo Sistema Coca-Cola Brasil e seus 17 fabricantes. O resultado foi a média de consumo de 2,10 litro de água (incluído o litro dentro da embalagem) para cada litro de bebida produzido em 2007, reduzindo 5% em relação à media de 2006. Há 11 anos, o consumo de água na Coca-Cola Brasil era de 5,4 litros/litro de bebida.

“Nosso objetivo é devolver cada gota de água que usamos nas nossas bebidas e na sua produção. Para nós isso significa reduzir a quantidade de água usada na produção de nossas bebidas, reciclar a água usada nos processos, e reabastecer as comunidades e a natureza através de projetos relevantes” disse o presidente mundial da Coca-Cola Neville Isdell.

De acordo com o Diretor de Meio Ambiente da Coca-Cola Brasil, José Mauro de Moraes, os 5% de economia de água da Coca-Cola Brasil são suficientes para abastecer 37,5 mil famílias de quatro pessoas durante um mês, considerando um consumo de 200 litros de água, por pessoa, por dia.

Os índices apresentados pelo Sistema Coca-Cola Brasil resultaram de iniciativas e investimentos realizados pela Coca-Cola Brasil e pelos 17 grupos fabricantes com o objetivo de otimizar a utilização da água, um insumo básico do setor. Os fabricantes da Coca-Cola Brasil concentraram seus esforços na reutilização da água em diversas etapas da linha de produção, tendo como ferramenta principal as Estações de Tratamento de Água. A associação de diversas medidas para economia de água garante integridade absoluta do produto, continuidade de fornecimento e redução de custos de fabricação.

Algumas fábricas do Sistema Coca-Cola Brasil apresentam consumo na faixa de 1,4 litro para cada litro de bebida. Para esses, reduzir ainda mais o consumo de água representa um grande desafio a ser vencido. A forma de economia que resta está na captação, deixando de usar água do fornecimento público e partindo para a captação própria, incluindo água da chuva. O sistema já funciona com sucesso no edifício-sede da Coca-Cola Brasil, no Rio de Janeiro, desde meados de 2005, onde a água de chuva é utilizada para alimentação das torres de refrigeração (ar condicionado). Outra iniciativa e o uso de torneiras de fechamento automático nos banheiros. A Spaipa, fabricante que atua no Paraná, conta com sistema de captação de água da chuva nas suas duas fábricas.

Programa Água Limpa

Para a Coca-Cola, tão importante quanto garantir o sucesso de suas operações é garantir o desenvolvimento sustentável e a conservação dos recursos naturais necessários para o negócio, que são finitos e partilhados com todos. A Coca-Cola considera muito importante que a sua atuação em uma comunidade tenha impactos positivos em sua economia, gerando empregos e oportunidades para a população e o mínimo impacto ambiental.

A preocupação ambiental faz parte da filosofia de trabalho da Coca-Cola há muito tempo. Neste sentido, a Coca-Cola possui políticas, programas, requisitos e diretrizes voltados para a área de meio ambiente, que compõem o Sistema de Gestão Ambiental da Coca-Cola, que chamamos também de eKOsystem. Entre esses programas, destaca-se o “Água Limpa”, que trata, entre outras coisas, da qualidade da água que é devolvida à rede de esgoto pelos fabricantes e da economia na utilização deste bem cada vez mais escasso no planeta. Mesmo sendo o Brasil o país com as maiores reservas de água potável, possuindo cerca de 12% do total conhecido, não é aceitável o desperdício de um dos mais valiosos bens naturais, absolutamente essencial à vida de quase todos os organismos vivos. Este desperdício é menos aceitável ainda quando se analisa a distribuição da água potável no território nacional. Cerca de 80% do total estão na região amazônica, com baixíssima densidade demográfica, e os demais 20% estão espalhados pelo restante do país, abastecendo 95% da população brasileira.

Programa Água das Florestas Tropicais Brasileiras

O programa Água das Florestas Tropicais Brasileiras promoverá a recuperação de bacias hidrográficas através do reflorestamento de matas ciliares. O programa prevê o reflorestamento de 3 mil hectares, com investimento R$ 27 milhões até 2011 e plantio de 3,3 milhões de mudas de espécies nativas. A fase inicial contempla a Serra do Japi, Alto Tietê, estado de São Paulo. O programa conta com o patrocínio também da Coca-Cola FEMSA, fabricante autorizado na região de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Na fase inicial, a Fundação SOS Mata Atlântica é a responsável pela mobilização dos proprietários de terra, engajamento social e monitoramento da qualidade da água, que será realizada com a participação de escolas e a conscientização da população local sobre a necessidade da conservação dos rios e das matas.

Sistema Coca-Cola Brasil

O Sistema Coca-Cola Brasil, formado pela Coca-Cola e 17 grupos fabricantes brasileiros, além da Leão Junior, Del Valle e Minute Maid Mais, emprega diretamente mais de 34 mil funcionários, gerando indiretamente cerca de 310 mil empregos. O Sistema Coca-Cola Brasil investiu quase R$ 4 bilhões no Brasil nos últimos cinco anos e está presente em sete segmentos do setor de bebidas não-alcoólicas brasileiro – águas, chás, refrigerantes, sucos, energéticos, isotônicos e lácteos, com uma linha que mais de 150 produtos, entre sabores regulares e versões de baixa caloria. O Instituto Coca-Cola Brasil é o responsável pelos projetos sociais e ambientais de âmbito nacional do Sistema Coca-Cola Brasil. Para saber mais, click aqui.

Fonte: Empresa

Bom dia e bom trabalho.